Brasil conquista a Liga Mundial pela 5ª vez

Há 10 anos… dia 10 de julho de 2005.

Brasil conquista a Liga Mundial pela 5ª vez

Às vésperas da fase final da Liga Mundial de 2015, que será realizada no Rio entre 15 e 19 de julho, a seleção brasileira masculina de vôlei tem pouca ou nenhuma semelhança com a que faturou a competição pela 5ª vez, uma década atrás.

De remanescentes da conquista em Belgrado, então Sérvia e Montenegro, hoje capital dos sérvios, somente Murilo e Serginho. No banco, Bernardinho. Hoje, o Brasil é mais um entre os grandes do voleibol mundial dos homens. Segue muito forte, mas não imbatível.

Há 10 anos, a seleção brasileira era praticamente invencível. Após a chegada de Bernardinho ao comando técnico, em 2001, o time se transformou em uma máquina de vitórias e títulos. Para se ter uma ideia, nos primeiros cinco anos com o treinador, de 2001 a 2006, a seleção disputou 20 torneios, com 16 títulos, 3 vices e 1 terceiro lugar.

A Liga Mundial de 2005 era o primeiro campeonato depois da Olimpíada de Atenas, talvez o auge da Era Bernardinho. A medalha de ouro coroou um trabalho revolucionário do técnico e consagrou nomes como Giba e Nalbert, que se despediu da seleção na Grécia.

Para a disputa da Liga, Bernardinho manteve a base campeã olímpica, mas começou a renovar o grupo, com jovens como Murilo e Samuel. O time titular teve Ricardinho, Serginho, Giba, André Nascimento e Gustavo, além do revezamento de Henrique, André Heller e Rodrigão no meio-de-rede. Dante, que acabaria eleito o melhor bloqueador, também esteve ativo dentro do sexteto em quadra.

Com eles, a seleção fez campanha irretocável: na fase classificatória, em maio e junho, foram 12 partidas, com 11 vitórias e apenas um revés, contra Portugal. Um jogo que acenderia o alerta de Bernardinho.

“Temos novo status. Todos querem copiar o Brasil e ganhar do Brasil. Se relaxarmos, podemos sofrer quedas duras. Temos de encarar cada jogo com seriedade e concentração para superar as dificuldades”, afirmou, depois da derrota.

Na fase final, não teve pra ninguém. Três vitórias pelo mesmo placar: 3 a 1. Na decisão, diante dos anfitriões sérvios e montenegrinos, uma virada inapelável. Após set inicial sonolento do Brasil e no qual os elétricos donos da casa fizeram 25-14, Bernardinho chacoalhou o time, que logo respondeu.

Então, foi um passeio. A seleção devolveu o 25-14 na segunda parcial e levou os outros dois sets com controle total do duelo: 25-19 no terceiro e 25-16 no quarto. “Acho que essa equipe responde melhor sob pressão”. A profética análise de Bernardinho, ainda na fase de classificação, retratou bem o jogo final.

O título em Belgrado se somaria aos de 1993, 2001, 2003 e 2004 para colocar o Brasil mais perto do maior campeão da Liga Mundial, a Itália, com 8 taças. Em 2010, a seleção brasileira se tornaria a maior vencedora, com a conquista do nono troféu.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Resumo da final:

Fontes:

Wikipédia

Acervo Folha

Acervo Estadão

Wikipedia

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.