A última vez de Elvis no Ed Sullivan Show

Há 60 anos… dia 6 de janeiro de 1957.

A última vez de Elvis Presley no Ed Sullivan Show

“Eu queria dizer a Elvis Presley e ao país que este é um garoto realmente decente, e onde quer que você vá, Elvis, queremos dizer que nunca tivemos uma experiência mais agradável em nosso programa com um grande nome do que com você. Então, agora vamos dar uma tremenda salva de palmas para uma pessoa muito legal!”.

Ao final do programa, o generoso e sagaz anfitrião fez questão de exaltar a estrela em ascensão. À primeira (e desinformada) vista, um afago desnecessário, porque o convidado já “ganhara”, e muito bem, a plateia ali presente. Ademais, estava em alta.

Ed Sullivan, porém, sabia do riscado. Sabia estar diante de um ainda menino, a dois dias de completar somente 22 anos. Sabia, acima de tudo, que a América estava ali, grudada na TV, vendo tudo. Principalmente, os haters.

Pois é, mesmo em tão tenra idade e carreira, o topetudo do Mississippi já tinha detratores. O motivo, todos sabem: the pelvis! Isso mesmo. Os insinuantes e originais movimentos dos joviais quadris de Elvis Presley tinham provocado uma verdadeira hecatombe no coração do puritanismo da Terra do Tio Sam.

O terremoto acontecera em junho de 1956, na famosa apresentação no Milton Berle Showleia aqui. Mas Elvis se tornaria o inimigo nº 1 dos defensores da moral e dos bons costumes somente no final daquele ano. Tanto que nas duas aparições iniciais no Ed Sullivan Show, em setembro e outubro, todos puderam ver o seu suingue!

A pressão dos puros e carolas, porém, surtiria efeito. E as redes de TV tomaram, então, a providência: censuraram Elvis. Ou melhor: censuraram a pélvis do menino! O futuro Rei do Rock seria filmado em close, omitindo, assim, o seu sensual e sexual bailado de pernas.

Foi assim a sua última vez no mítico programa, no qual The King cantou “Hound Dog”, “Don’t Be Cruel”, “Too Much” – lançada dois dias antes! -, “When My Blue Moon Turns To Gold Again” e “Peace in the Valley”, antes de ser exaltado por Ed Sullivan no fechamento do show. Os requebros ficaram guardados para os ensaios (fotos acima).

A polêmica, porém, seguiria colada nele. Teve gente, por exemplo, que chiou por ele ter cantado “Peace in the Valley”, uma música gospel – a preferida de sua mãe, Gladys. Astuto, Coronel Tom Parker, empresário de Elvis, surfou na onda da controvérsia e, ainda em 1957, o Rei lançou seu primeiro disco gospel (um compacto duplo com quatro canções)!

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Trechos da última aparição:

O áudio completo do show:

Fontes e +MAIS:

– elvis.com

– edsullivan.com

– elvis-history-blog.com

– elvis-collectors.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s