Perón é eleito presidente da Argentina pela 1ª vez

Há 70 anos… dia 24 de fevereiro de 1946.

Perón é eleito presidente da Argentina pela 1ª vez

Hoy me siento obligado más que nunca, y yo que jamás en mi campaña he prometido nada, hoy juro, ante este solemne pueblo, que no he de descansar de día ni de noche para hacerlos felices en la medida de nuestras fuerzas. Llevamos hoy como siempre el signo de nuestra causa. Somos y seguiremos siendo descamisados para que no olvidemos jamás nuestra obligación con ese pueblo también descamisado que espera y siente como nosotros. Por eso, desde esta ya memorable Plaza de la República, abrazo sobre mi corazón a todos los descamisados de la Patria que, como nosotros, en esta hora jubilosa, estarán dando gracias a Dios de que nos haya templado el corazón y aclarado la inteligencia para ofrecer la vida a la Nación, en el trabajo, en la paz y en lo fructífero que un hombre tiene en su alma y en su cuerpo. 

As primeiras palavras após eleito dão a medida do quão populista foi Juan Antonio Perón, um dos grandes símbolos da política e da História da Argentina. Um discurso carregado de sentimentalismo e paternalismo, em que ele se coloca como um “descamisado” e também como um protetor, um pai. O “Pai dos Descamisados”, assim como Getúlio Vargas foi o “Pai dos Pobres” por aqui.

Produtos do mesmo contexto histórico da América Latina, Perón e GV se assemelham em diversos aspectos em suas trajetórias. O caudilho argentino, no entanto, “vence” o brasileiro no imaginário de seu povo. Até hoje, há forte sentimento de nostalgia, uma espécie de “sebastianismo”. Como se Perón fosse ressuscitar e redimir a Argentina de seu malogrado destino.

Bem, há sete décadas, ele chegou pela primeira vez à presidência, batendo o candidato da União Cívica Radical do Povo, José Tamborini, com diferença de quase 300 mil votos. Uma vitória que começou anos antes, quando Perón surgiu no cenário político da Argentina.

Em 1943, após bem-sucedida carreira nas forças armadas, liderou o Grupo dos Oficiais Unidos (GOU) em golpe de estado que tirou Ramón Castillo da presidência. No novo governo, transformou a Secretaria de Trabalho em ministério e cresceu rapidamente com medidas populares, como aumento de salário, redução da jornada e criação do 13º.

Pouco depois, com a chegada do general Farrel ao poder, em fevereiro de 1944, Perón acumulou os ministérios do Trabalho e da Guerra, além da vice-presidência. Ganhou mais visibilidade, principalmente entre os pobres.

A tentativa de tirá-lo do governo, em setembro de 1945, em ação comandada por outro general (Avalos), que levou Perón para a cadeia, só o fortaleceu ainda mais. Poucos dias depois, a população argentina se fez ouvir, em um ato surpreendente.

Milhares de pessoas tomaram a Praça de Maio, em frente à Casa Rosada, para pedir a volta de Perón. Virou mártir. Nos braços do povo, retornou e, mais quatro meses, foi eleito para o cargo mais alto da República Argentina pela primeira vez.

Perón venceria mais dois pleitos, o de 1951, sua reeleição, e outro em 1973, após quase 20 anos de exílio. Ele morreria em 1º de julho de 1974.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Reportagem da TV Pública sobre a eleição de 1946:

Fontes e +MAIS:

Wikipedia

Wikipedia (espanhol)

– history.com

– seuhistory.com

– acervo.oglobo.globo.com

– thenation.com

– jdperon.gov.ar

– efemeridesargentina.com.ar

– datamarca.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.