Napoleão Bonaparte é exilado na Ilha de Elba

Há 200 anos… dia 11 de abril de 1814.

Napoleão Bonaparte é exilado na Ilha de Elba

As Forças Aliadas declararam que o Imperador Napoleão era o único obstáculo para a restauração da paz na Europa. O Imperador Napoleão, fiel ao seu juramento, declara que renuncia, para si e seus herdeiros, os tronos da França e da Itália, e que não há nenhum sacrifício pessoal, mesmo que de sua vida, que ele não esteja pronto para fazer no interesse da França.

Palácio de Fontainebleau, 11 de abril 1814.

E assim o Imperador caiu, pegou seu boné, ou melhor, o seu chapéu e foi embora. Napoleão Bonaparte abdicou do trono francês e foi exilado na pequena Ilha de Elba, no Mediterrâneo. Grã-Bretanha, Áustria, Prússia, Rússia, Portugal, Espanha e Suécia, as forças aliadas, restauraram a monarquia na França, colocando Luís 18 – irmão de Luís 16, guilhotinado na Revolução Francesa – no trono.

Para entender o declínio e o exílio em Elba, é preciso voltar no tempo e compreender como Napoleão chegou ao poder, como Imperador. Um breve resumo.

Durante o conturbado período que culminou com a revolução de 1789, ele ascendeu ao posto de tenente-coronel e lutou ao lado dos jacobinos.  Depois, as disputas políticas internas entre os revolucionários deixaram o clima incerto na França.

Aproveitando seu êxito como comandante do exército francês nas bem-sucedidas campanhas militares na Itália e no Egito, Napoleão se promove e cria a imagem de um general patriota e invencível. Em meio a uma crise dentro da Revolução, dá um golpe, o famoso 18 de Brumário.

De 1799 até 1804, Napoleão foi primeiro-cônsul, junto com outros dois. Acaba centralizando o poder dentro do Consulado e prepara o terreno para se tornar imperador. Sob seu comando, a França vê uma recuperação econômica, jurídica e administrativa.

Assim, no plebiscito de 1804, com quase 60% dos votos, a Monarquia é restabelecida e Napoleão se torna Imperador (Napoleão I), coroado em dezembro daquele ano, na catedral de Notre Dame.

No trono, inicia uma expansão territorial militar da França e passa a incomodar países vizinhos. De 1803 até sua queda definitiva, Napoleão empreende invasões para alargar o Império e causa conflitos, as chamadas Guerras Napoleônicas.

Em 1806, a gota d’água: decreta o Bloqueio Continental, que impedia o acesso de navios britânicos aos portos dos países submetidos ao Império Francês. Napoleão queria atingir a economia britânica com a medida, mas o tiro saiu pela culatra. Países então aliados e simpáticos à França se tornaram inimigos e aliados da Grã-Bretanha.

Bom, encurtando a história, seguidos conflitos acontecem entre a França e o resto (leia-se Grã-Bretanha, Áustria, Prússia, Rússia, Portugal, Espanha e Suécia). Em 1812, Napoleão sai enfraquecido da Campanha da Rússia e encaminha o fim do Império.

Dois anos depois, o Tratado de Fontainebleau estabelece seu exílio, com direito a pensão de 2 mil francos, escolta de 400 soldados e o título de Imperador preservado. Napoleão chega à Ilha de Elba em 4 de maio.

Em 26 de fevereiro de 1815, ele escaparia de Elba, retornaria à França e reconquistaria o poder.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Veja documentário do Discovery sobre Napoleão Bonaparte:

Fontes:

history.com

Wikipédia

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s