Romário para o Rio na chegada ao Flamengo

Há 20 anos… dia 14 de janeiro de 1995.

Romário para o Rio na chegada ao Flamengo

Seria como se Cristiano Ronaldo desembarcasse hoje em Lisboa e desfilasse com a camisa do Benfica pelas ruas da capital portuguesa até triunfal chegada ao Estádio da Luz, arrastando uma multidão por todo o trajeto, do Aeroporto da Portela até a casa encarnada.

Exatos 20 anos atrás, foi mais ou menos isso que aconteceu no Rio de Janeiro.

A Cidade Maravilhosa parou para receber Romário, então melhor jogador do mundo.

Após 10 horas de viagem de Madri até o Rio, ele aterrou no Aeroporto Internacional às 7h05.

Três horas e meia e um desfile em carro aberto depois, foi recebido na Gávea com muita festa e concedeu a primeira entrevista coletiva como jogador do Flamengo.

“Quando recebi o convite do Flamengo, não pensei duas vezes”, afirmou o Baixinho, camisa 11 às costas, ignorando um pouco o passado no Vasco, clube que o projetou para o futebol. O craque chegou prometendo títulos.

A improvável operação que trouxe o melhor do mundo à Gávea foi capitaneada pelo presidente Kleber Leite e contou com a participação de um pool de empresas (era a expressão mais ouvida na época, “pool de empresas”). Foram desembolsados US$ 4,6 milhões para tirar Romário do Barcelona.

“Ele vai ser um parceiro do Flamengo. Será a alavanca para a retomada de credibilidade do clube”, garantiu o falastrão presidente, adiantando os planos para transformar Romário em um garoto-propaganda no centenário do clube mais popular do Brasil.

Romário estrearia com o manto rubro-negro em 27 de janeiro, no empate por 1 a 1 com o Uruguai, no Estádio Serra Dourada. Três dias depois, seria oficialmente eleito o melhor do mundo. Até hoje o único fora da Europa a vencer o prêmio.

A vinda de Romário foi muito positiva no marketing. Fora das quatro linhas, o projeto até que foi bem-sucedido. Em campo, no entanto, os títulos não vieram. O Baixinho balançou as redes 45 vezes em 61 jogos (média de 0,73) na temporada, mas não conseguiu liderar a equipe para grandes conquistas nos 100 anos do Flamengo (somente a Taça Guanabara e o inexpressivo Torneio Maria Quitéria).

O primeiro título de verdade pelo Urubu viria em 1996, com o troféu do Campeonato Carioca, depois de curta passagem de Romário pelo Valencia.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

A chegada de Romário ao Flamengo, em reportagem de Tino Marcos:

Fontes:

Acervo Estadão

romario11.com.br

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s