Morre o corredor Paavo Nurmi

Há 40 anos… dia 2 de outubro de 1973.

2out13

“Recordes serão quebrados, medalhas de ouro perderão o brilho, novos vencedores aparecerão. Como lenda histórica, Paavo Nurmi nunca será superado.”

Entre inúmeras homenagens, vindas de todos os cantos do mundo, esta foi a de Marjatta Vaananen, ministra da Educação da Finlândia, por ocasião da morte de um dos filhos mais ilustres da nação escandinava.

Paavo Nurmi, uma das maiores lendas da História do atletismo, morreu em Helsinque no dia 2 de outubro de 1973. No dia 11, teve velório de chefe de Estado, na Antiga Igreja da capital, e depois foi enterrado no cemitério de sua cidade natal, Turku, ao sul da Finlândia.

“Havia algo desumano, severo e cruel sobre ele, mas conquistou o mundo por um caminho puro: com uma vontade de poder sobrenatural”, escreveu o famoso jornalista finlandês Martti Jukola, em 1935, quando Nurmi já havia se retirado das pistas.

Uma carreira com três Olimpíadas (Antuérpia-1920, Paris-1924 e Amsterdã-1928), nove medalhas de ouro e mais três de prata. Conhecido como “O Rei dos Corredores”, Nurmi está entre os mais vitoriosos atletas olímpicos da história.

Tudo começou quando o pequeno garoto de Turku se encantou com o corredor Hannes Kolehmainen, destaque nos Jogos Olímpicos de 1912, em Estocolmo. As três medalhas de ouro de Kolehmainen (5000m, 10000m e 3000m cross-country por equipes) colocam a Finlândia no mapa do mundo e inauguram período de domínio de corredores do país nas provas de fundo do atletismo.

Inspirado pelo compatriota, Nurmi começa a treinar. Em 1920, já estabelece seu primeiro recorde, dos 3000m, com o tempo de 8min36s2, melhor marca dentro da Finlândia.

Logo se firma como o melhor corredor do mundo, com performances fantásticas em três Jogos seguidos. Em 1932, acusado de receber para competir, fato proibido na época, é impedido de disputar a Olimpíada em Los Angeles. Encerra a brilhante carreira dois anos depois.

Na abertura dos Jogos Olímpicos de Helsinque, em 19 de julho de 1952, Paavo Nurmi é o segredo escondido pela organização. Quando adentra ao estádio com a tocha olímpica na mão, mais de 70 mil pessoas começam a gritar e a chorar, em um grande momento da história do evento.

Você sabia que a filha de Paavo, Maila Nurmi, ficou famosa no cinema americano por causa da personagem de uma vampira?

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Veja Paavo Nurmi com a tocha na emocionante abertura da Olimpíada de Helsinque, em 1952:

Fontes:

Site do Museu de Esportes da Finlândia

Wikipedia

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s