Florence Griffith-Joyner vence os 100m em Seul

Há 25 anos… dia 25 de setembro de 1988.

25set13

O mundo ainda estava assombrado com a performance de Ben Johnson no dia anterior quando a americana Florence Griffith-Joyner provocou novo frisson no estádio Olímpico de Seul.

Sem deixar dúvidas, ela venceu a final dos 100m rasos com novo recorde olímpico, 10s62. Marca imbatível até hoje, seis Olimpíadas depois. Para se ter uma ideia, nos últimos Jogos de Londres, em 2012, a jamaicana Shelly-Ann Fraser-Pryce venceu com tempo de 10s75.

Havia pouca dúvida de que Florence pudesse fazer história na Coreia do Sul. Poucos meses antes, deixara o posto de coadjuvante para iniciar brilhante trajetória dentro do atletismo.

Dia 16 de julho de 1988, estádio da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos.

Nas seletivas americanas, o dia parecia ser de Carl Lewis, que havia cravado recorde nos 100 (9s78, com ajuda do vento), ou de Willie Banks, do salto triplo.

Mas Florence roubou a cena.

Até então uma ótima velocista nos 200m – tinha conquistado a prata em Los Angeles-1984 -, não era considerada competitiva nos 100m. Depois daquele dia, tudo mudou.

Nas quartas de final da prova, terminou com a assombrosa marca de 10s49, recorde absoluto até hoje. Houve controvérsia sobre uma possível ajuda do vento, mas o tempo foi confirmado pelos técnicos da Omega, que cronometravam as provas das seletivas.

No dia seguinte, Florence venceu semifinal e final com tempos de 10s70 e 10s61, respectivamente.  Em 24 horas, a americana cravou três dos melhores tempos da história dos 100m rasos feminino.

Assim, chegou a Seul com todas as credenciais para vencer não só os 100m e os 200m, mas também levar os Estados Unidos ao ouro no revezamento dos 4x100m. Florence saiu da Coreia do Sul com as três medalhas douradas esperadas e ainda uma prata na bagagem, no revezamento dos 4x400m.

No dia 29 de setembro, quatro dias depois do ouro nos 100m, venceu os 200m em 21s34, recordes olímpico e mundial insuperáveis.

Por essas e outras, Florence Griffith-Joyner é considerada a mulher mais rápida de todos os tempos.

Dúvidas e acusações sempre pairaram sobre ela, mas o “esperado” doping nunca aconteceu. Inclusive, em 1988, foi submetida a nada mais nada menos do que 11 controles antidopagem. Não testou positivo em nenhum.

Em 21 de setembro de 1998, Florence Griffith-Joyner morreu, depois de um ataque de epilepsia, por causa de má formação congênita no cérebro. Uma vida tão rápida quanto sua performance nas pistas.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Veja aqui vídeo com os recordes olímpicos de Florence Griffith-Joyner em Seul-1988.

Fontes:

guardian.co.uk

Wikipedia

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.