“Tropicália ou Panis et Circensis” é lançado no Rio

Há 45 anos… dia 7 de agosto de 1968.

7ago13

“Baby” era uma das 12 faixas incluídas em Tropicália ou Panis et Circensis, o disco coletivo que os tropicalistas gravaram em São Paulo, ao longo do mês de maio de 68. Caetano coordenou o projeto e selecionou o repertório, que também destacava canções inéditas de Gil, Torquato Neto, Capinan e Tom Zé. Os arranjos ficaram por conta de Rogério Duprat, com a produção mais uma vez conduzida por Manoel Barenbein.

Para quem quiser entender um pouco o que foi o movimento liderado por Caetano e Gil, o livro Tropicália – A história de uma revolução musical é obrigatório. Na obra, o jornalista e escritor Carlos Calado traça a linha do tempo do fenômeno cultural, musical e social que explodiu no Brasil entre 1967 e 1969. Não sem falar sobre a infância de Caetano e Gil e, também, das consequências da Tropicália, até hoje sentidas na produção da cultura brasileira.

No trecho que abre esse post, Calado relata como foi a gravação do histórico Tropicália ou Panis et Circensis. O disco chegou às lojas do Brasil no final de julho de 1968, mas foi lançado com festa/happening na boate Dancing Avenida, no Rio de Janeiro, no dia 7 de agosto. Cinco dias depois, a celebração foi repetida em São Paulo, no Avenida Danças.

O disco traz as músicas mais representativas do movimento, apesar da ausência de “Tropicália”, presente em Alegria, Alegria, álbum de estreia de Caetano. O caldeirão de mistura e antropofagia está no trabalho coletivo tropicalista: trechos de poema do concretista Décio Pignatari, frases do próprio Manifesto Antropofágico de Oswald de Andrade, Frank Sinatra, Carlos Gomes e até Hino Nacional.

Os destaques, na modesta opinião deste blogueiro, vão para duas músicas: a (outra) faixa-título, “Panis et Circensis”, música de Gil, letra de Caetano e interpretação imortal dos Mutantes, e a sensível e linda “Baby”, na doce voz da jovem Gal.

Depois de Tropicália ou Panis et Circensis, os integrantes do movimento seguiram rumos diferentes e tudo arrefeceu de vez com a prisão e o exílio de Caetano e Gil, em Londres, em julho de 1969.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Ouça Tropicália ou Panis et Circensis na íntegra!:

Fontes:

+ MAIS: Para entender a Tropicália, recomendo o documentário homônimo, de Marcelo Machado, de 2012. Veja o trailer aqui!

Anúncios

Um comentário sobre ““Tropicália ou Panis et Circensis” é lançado no Rio

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s