O primeiro show do Police com a formação clássica

Há 40 anos… dia 18 de agosto de 1977.

No baixo e vocais, Sting. Na guitarra, Andy Summers. Na bateria, Stewart Copeland.

Há exatos 40 anos, fez-se o trio. O power trio!

O primeiro show do Police com a formação clássica aconteceu no Rebecca’s Club, em Birmingham, Inglaterra, em 18 de agosto de 1977. Uma furiosa e célere apresentação, como conta em detalhes Andy Summers no livro One Train Later: A Memoir:

“No dia em que Elvis morre, fazemos um show no Rebecca’s, em Birmingham. O estilo predominante é facilmente descrito. É muito rápido, muito alto e apresenta ruídos de gritos fortemente ilegíveis, geralmente acompanhados por um bocado de perdigotos. Nós subimos no palco no pequeno e escuro clube e vomitamos todo o nosso show, cumprindo todos os itens mencionados acima, e terminamos em cerca de doze minutos. Deveríamos tocar por uma hora. Olho para Sting e Stewart em quase descrença: acabamos de tocar quinze músicas em doze minutos, como se estivéssemos buscando um novo recorde de velocidade terrestre. Talvez seja assim que Dizzy e Charlie Parker se sentiram nos anos 1940 quando começaram a tocar músicas do bebop a uma velocidade vertiginosa para que os brancos não pudessem dançar. Deveria rir, mas é lamentável; até mesmo a plateia está nos encarando de queixo caído. Se nada mais acontecer, pelo menos somos a banda mais rápida por aqui. Estamos tão empenhados em ser vistos como punk que nos esquecemos da música completamente; a ideia parece ser que se você for visto como autêntico, então você será bem sucedido – o conteúdo é secundário. É uma postura suspeita, e não pode ser sustentada por muito tempo. Nós somos uma banda, mas para mim, é como se fosse um só nome”.

Como se percebe na narrativa de Summers, o Police era uma banda à procura de identidade própria, ainda muito colada ao conceito do punk que explodia na Terra da Rainha na época.

E foi o próprio guitarrista o motor da transformação sonora e estética do grupo. Dez anos mais velho que Sting e Copeland, já tinha currículo de respeito, com direito a colaborações com Eric Burdon e os Animals, Kevin Avers, entre outros.

Sting se encantou com seu estilo e musicalidade meses antes, em maio, mesma época em que crescia a desconfiança e o descontentamento com relação a Henry Padovani. O vocalista convidou Summers a se juntar ao trio, mas o veterano músico condicionou sua entrada à saída do então guitarrista.

Tanto Sting quanto Copeland hesitaram e fraquejaram na missão de tirar Padovani do Police. Então, por cerca de algumas semanas e dois shows, o trio virou quarteto. Summers deu um ultimato e a dupla tomou coragem para chutar o guitarrista definitivamente.

Começava, assim, a história do Police.

Meses mais tarde, o trio registraria o primeiro álbum, Outlandos d’Amour, no Surrey Sound Studios, sul da Inglaterra.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Foto: provavelmente, de 1978…

“Roxanne”, o segundo single, de 1978:

Fontes e +MAIS:

– Wikipedia

– thepolice.com

– thepolicewiki.org

– diffuser.fm

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s