Timothy McVeigh é condenado à morte

Há 20 anos… dia 13 de junho de 1997.

DENVER, 13 de junho – Um júri federal condenou hoje Timothy J. McVeigh à morte pelo bombardeio de 19 de abril de 1995 de um prédio federal em Oklahoma City, que matou 168 pessoas, feriu mais de 100 pessoas e destruiu a crença complacente de que a face do terror político aleatório nunca poderia ser americana. 

 

McVeigh, sentado na mesa da defesa com os cotovelos e as mãos juntas na frente do rosto, pareceu absolutamente inabalável com o anúncio do juiz federal Richard P. Matsch, sobre a recomendação do júri de que ele seja morto por seus crimes. 

 

O veterano da Guerra do Golfo Pérsico, de 29 anos, soltou as palavras “está tudo bem” para sua família, sentada na parte da frente do tribunal, dando um aceno e uma saudação de “V” com os dedos para o júri de sete homens e cinco mulheres, no momento em que comissários o escoltaram para fora. Matsch condenará formalmente McVeigh à morte por injeção letal em uma data posterior.

“Absolutamente inabalável”, descreveram Tom Kenworthy e Lois Romano, na reportagem do Washington Post de 14 de junho de 1997, sobre a reação de Timothy McVeigh ao ouvir seu veredito final: o corredor da morte.

Exatos 786 dias depois de perpetrar a barbárie no centro da América, o aparentemente pacato homem nascido em Lockport, Nova York, tinha o destino selado.

Advogado de McVeigh e manchete do Denver Post

“O que choca os norte-americanos é que o pior atentado terrorista de sua história não foi concebido em Bagdá, mas em Kansas, no coração do país, e não foi executado por fanáticos de religiões esotéricas, mas por um rapaz que, como disse seu advogado, podia ser filho, irmão, neto de qualquer cidadão desta terra”, escreveu Carlos Eduardo Lins da Silva, correspondente da Folha nos EUA à época.

Uma decisão unânime após mais de 11 horas de deliberação do júri. Resolução com o respaldo da população, como mostrou a mesma reportagem da Folha. “Segundo pesquisa de opinião pública do Instituto Gallup divulgada pela edição semanal da revista Time, 78% dos norte-americanos acham que ele deveria receber a pena de morte e 17% a de prisão perpétua”.

Timothy McVeigh esperou mais quatro anos para, enfim, ser executado, o que aconteceu em Em 11 de junho de 2001, na penitenciária em Terre Haute, estado de Indiana.

Exatamente três meses antes do atentado às Torres Gêmeas e ao Pentágono.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Imagens e entrevistas da defesa e acusação:

Fontes e +MAIS:

– Wikipedia

– Acervo Folha

– Acervo Estadão

– washingtonpost.com

– edition.cnn.com

– archives.nbclearn.com

– usatoday.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s