Ali vence a última luta antes de perder o cinturão dos pesados

Há 50 anos… dia 22 de março de 1967.

Na apresentação do dono do cinturão dos pesados, um misto de vaias e aplausos.

A recepção dividida da plateia nas cadeiras do mítico Madison Square Garden indicava termômetro do sentimento da América em relação ao seu campeão.

Na iminência de ingressar em um furacão que lhe tomaria tudo, especialmente seu ativo mais precioso, Muhammad Ali era um homem amado e odiado, quase na mesma proporção.

Ele sabia de tudo isso. Tinha noção exata do tamanho e do barulho de seus fãs e de seus detratores. Conhecia também o destino que batia à sua porta.

Por isso convocara todos, lovers e haters, a compareceram ao Garden para presenciar a última exibição.

Quis o irônico destino que o desafiante fosse um veterano de Guerra da Coreia, um veterano do ringue. Um homem respeitoso e reverente ao campeão, que, por sua vez, tornava pública a recíproca a cada vez que lhe perguntavam sobre Zora Folley.

“Folley é um homem bom e doce, oito filhos, me chama de Muhammad Ali, me agradece o tempo todo por dar a ele uma chance. Como é que eu vou ficar bravo com ele só pra promover a luta?”, disse Ali, em uma das entrevistas antes do combate.

Ao contrário do que fizera com Sonny Liston e Ernie Terrell – e do que faria com Joe Frazier e George Foreman -, o campeão manteve tom de respeito e admiração para com o oponente antes, durante e depois da luta.

E a cena que fica é a do abraço de Ali em Folley tão logo finda a contenda. Gesto grandioso do homem que logo teria seu cinturão tomado e seu ofício interrompido por mais de três anos.

Nocauteado no sétimo assalto, Folley teria na noite de 22 de março de 1967 sua derradeira faísca de brilho no boxe. Lutaria mais 10 vezes antes de pendurar as luvas, em 1970, com um cartel de 79 vitórias, 43 por nocaute, 11 derrotas e seis empates.

Morreria dois anos depois, por causa de um tombo à beira da piscina de um hotel em Tucson, no Arizona. Nas primeiras linhas de quase todos os obituários, a menção de que fora ele o último homem a encarar Ali antes do hiato de The Greatest.

Melhores momentos da luta:

A luta, na íntegra:

Fontes e +MAIS:

– Wikipedia

– boxrec.com

– boxing.com

– theshadowleague.com

– boxingoverbroadway.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s