A queda do Império Romano do Ocidente

Há 1540 anos… dia 4 de setembro de 476.

A queda do Império Romano do Ocidente

POR NETA MELLO*

“Cai Rômulo Augusto!”

Você poderia ler a manchete acima se vivesse em 476. Se existissem jornais na Península Itálica de então. Se os bárbaros germânicos liderados por Odoacro soubessem ler e escrever.

A data marca a passagem da Antiguidade para a Idade Média que todos estudamos no antigo ginásio. Decoramos para o vestibular a famosa queda do Império Romano do Ocidente. Como se, de uma hora para outra, tudo tivesse ruído sob efeito de um terremoto.

Bem, depois de 1540 anos, não se pode falar em queda do Império Romano.

O jovem imperador Rômulo Augusto foi derrubado pelo chefe germânico não como aprendemos, com uma invasão. A história não foi bem contada, não é? Há muitas versões e revisões. A desagregação do poderoso império, como explicam historiadores, faz parte de um longo processo.

Manter e controlar um vasto território na Europa e Norte da África era tarefa difícil.

Impostos recolhidos em todas as províncias viajavam por estradas pavimentadas milhares de quilômetros até Roma. Ali, sustentavam a plebe e os escravos aprisionados em guerras de conquista, mão de obra importante para o império. Governadores das províncias, cobradores de impostos, uma burocracia gigantesca. Rebeliões locais, fome, brigas pelo poder, a divisão do império entre Ocidente e Oriente e a entrada de povos bárbaros vindos do Norte da Europa e parte da Ásia. Pouca coisa?

Não havia unidade, apesar do latim e do incipiente cristianismo adotado pelo imperador Constantino. Os deuses bárbaros eram apreciados e a eles foram associados deuses da guerra, da colheita, entre outros.

O campo passou a ter mais importância que as cidades. As pessoas podiam plantar e colher, ter rebanhos no regime de colonato dos povos bárbaros. O legado clássico, de gregos e romanos, é inegável. O direito romano, a arquitetura grega, a literatura, as artes, estão presentes no dia a dia do mundo ocidental.

O calendário não era o mesmo de hoje, mas 4 de setembro de 476 passou a ser a data oficial do fim do Império Romano do Ocidente. Odoacro, rei dos germanos, não adotou o título de imperador e poupou a vida de Rômulo Augusto, de apenas 15 anos.

O Império Romano do Oriente durou até 1453, na famosa Queda de Constantinopla – hoje Istambul. Você também decorou essa data, tenho certeza!

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

* Neta Mello, 61 anos, é historiadora e escritora. Tem quatro livros publicados e escreve no Blog da Neta.

FOTO: Na gravura do século 19, Rômulo Augusto se rende a Odoacro.

Documentário do History Channel:

Fontes e +MAIS:

– Wikipedia

– Wikipédia

– history.com

– lpm-blog.com.br

– guiadoestudante.abril.com.br

– operamundi.uol.com.br

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s