Panenka cria a cavadinha e dá título da Euro para Tchecoslováquia

Há 40 anos… dia 20 de junho de 1976.

Panenka cria a cavadinha e dá título da Euro para a Tchecoslováquia

“Naquela hora, era eu, um jogador desconhecido do grande público, contra Maier, o melhor goleiro do mundo. Quem você acha que carregava mais responsabilidade?”.

Logo nas primeiras linhas da ótima entrevista concedida a Alex Sabino, do LANCE!, fica evidente que Antonín Panenka é uma grande figura. Um cara simpático, modesto, brincalhão, prosador.

Um cara com total consciência de sua imortalidade no futebol. Ou melhor: da imortalidade de sua criação. Panenka sabe que, talvez, a criatura tenha superado o criador.

Quarenta anos atrás, o tcheco nascido em Praga concebeu a cavadinha. “Picada” na América do Sul. “Panenka” na Europa e resto do mundo. Uma jogada de mestre, para sempre.

Era a quinta e última cobrança da disputa de pênaltis contra a então campeã europeia e mundial, a Alemanha Ocidental. Ao camisa 7 bastava colocar a bola no fundo do gol para que a Tchecoslováquia levasse a inédita taça.

Mas Panenka queria mais. Por que não criar algo novo, surpreendente, para o mundo todo suspirar de alegria e felicidade?

Então, ele correu feito uma locomotiva em direção à pelota, tal qual o compatriota Emil Zatopek, insinuando disparar um foguete à meta do gigante Sepp Maier.

No último instante, no entanto, o toque genial. Panenka arqueia o corpo, coloca o pé direito embaixo da bola e a acaricia com leve gesto. Uma pincelada. Obediente, a pelota flutua como uma pluma, em parábola perfeita, até tocar a rede, no centro do gol.

Maier, à essa altura já de pé, após ter voado ao canto esquerdo, observa o bigodudo Panenka celebrar o lance para a eternidade.

“É gratificante. É uma maneira de ser imortal porque sempre que alguém bate um pênalti nesse estilo, citam meu nome. Muita gente, quando vê o lance, sorri. Futebol tem de ser assim. É para o torcedor depois ir no bar com os amigos e se divertir lembrando das jogadas. Todo mundo quer ser um pouco imortal. Eu também”, fala o criador, na entrevista ao L!.

Pode ficar tranquilo, caro Panenka. Você é imortal. Você e sua criação.

Os gols e a disputa de pênaltis da final da Euro 1976 aqui!

Animação com a cavadinha:

Fontes e +MAIS:

Wikipedia

Wikipédia

– panenka.org

– trivela.uol.com.br

– imortaisdofutebol.com

– elperiodico.com

– marca.com

– books.google.com.br

– skysports.com

– desporto.sapo.pt

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s