Cantona, 50 anos

24 de maio de 1966

Cantona, 50 anos

– It’s funny, isn’t it? Sometimes, we just forget you’re just a man. 

– I’m not a man. I am Cantona.

Eu não sou um homem. Eu sou Cantona.

O diálogo do ótimo “À Procura de Eric” sintetiza, à perfeição, o cinquentão do dia.

King Eric.

Éric Daniel Pierre Cantona. Nascido em Marselha, canonizado em Manchester.

Possivelmente, o último artista do futebol.

Artista que encontrou no Teatro dos Sonhos de Old Trafford o palco perfeito para mostrar sua genialidade. Irreverência, classe, arrogância, fúria, insolência e gols. Muitos gols.

Foram 82 em 185 jogos pelos Diabos Vermelhos. E mais 4 taças de Premier League (1992–93, 1993–94, 1995–96, 1996–97), 2 de FA Cup (1993–94, 1995–96) e 3 da antiga Charity Shield, hoje FA Community Shield, em 1993, 1994 e 1996.

Mais do que gols ou títulos, Cantona ganhou os corações da fanática torcida do Manchester United. Sua contratação, em novembro de 1992, vindo do então campeão Leeds United, é lembrada até hoje como a mais importante da Era Ferguson. Na verdade, todos sabem, a chegada do Enfant Terrible foi a salvação para Sir Alex.

No Leeds, Cantona fez 15 partidas na campanha do título e, apesar de ter marcado apenas 3 gols, foi importante para servir o artilheiro Lee Champman.

“Em Leeds, o futebol era jogado da maneira antiga, chutão e corre-corre. Mas foi muito importante jogar lá primeiro, porque aprendi muito. E tivemos sucesso. Mas não sentia um bom ambiente, não queria ficar lá. Eu preciso me sentir bem”, disse ele, em ótima e recente entrevista à revista Four Four Two (link abaixo).

À vontade ele nunca se sentiu no próprio país. Auxerre, Martigues, Olympique de Marselha, Bordeaux, Montpellier, Nîmes. Em nenhuma equipe da França, Cantona conseguiu, realmente, ser ele mesmo, apesar das conquistas coletivas, como os dois títulos nacionais pelo Marseille (1988–89, 1990–91), por exemplo.

Pela seleção, o mesmo script. Muitos problemas com técnicos e a imprensa minaram o seu talento. Quando esteve muito perto de participar de uma Copa, a de 1994, a França sucumbiu em trágica derrota para a Bulgária, em casa. Imagine Cantona naquele mundial, que tinha Romário e Maradona! Os 3 rebeldes.

Ele estreou com a camisa azul em 1987, sob o comando de Henri Michel. Logo de cara, atritos (se referiu ao treinador como “saco de merda” após uma partida e acabou fora das convocações seguintes).

Platini chegou e deu total respaldo ao problemático e talentoso atacante, garantindo presença no grupo de convocados enquanto ele, Platini, estivesse no comando. O ex-jogador deixou o comando após fracassada participação francesa na Euro’92, apesar da potente dupla de frente formada por Cantona e Papin.

O sucessor, Gérard Houllier, ficou marcado pela inesperada desclassificação para a Copa dos EUA. Aimé Jacquet assumiu, arrumou a casa e deu a faixa de capitão para Cantona. Mas havia um hooligan no meio do caminho do Rei de Manchester…

A voadora em Matthew Simmons, torcedor do Crystal Palace, interrompeu a carreira de Cantona por 8 meses e prejudicou sua ascensão na seleção. Em sua ausência, um tal de Zinédine Zidane se transformou em protagonista. Cantona nunca mais seria chamado. E os horrorosos Guivarc’h e Dugarry foram os titulares no triunfo francês em casa, em 1998…

Ao fim, sua seleção, sua casa, foi Manchester e Old Trafford. Ao lado de lendas como Bobby Charlton, Ryan Giggs e a maior, George Best, Cantona tem lugar eterno na História de um dos maiores clubes do mundo.

O Belfast Boy, aliás, disse certa vez que trocaria, feliz, todo o champanhe que bebera na vida para jogar uma única partida ao lado de Cantona no Teatro dos Sonhos.

Best & Cantona. Impossível ataque mais rock and roll!

Joyeux anniversaire, Éric!

Obra de arte contra o Sunderland, em 1996:

Trailer de “À Procura de Eric”:

Fontes e +MAIS:

– Wikipedia

– Wikipédia

– manutd.com(1)

– manutd.com(2)

– Enciclopédia Oficial do Manchester United

– telegraph.co.uk

– papodehomem.com.br

– fourfourtwo.com

– brainyquote.com

– skysports.com

– trivela.uol.com.br

– dailymail.co.uk

Anúncios

Um comentário sobre “Cantona, 50 anos

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s