A queda de Slobodan Milosevic na Iugoslávia

Há 15 anos… dia 5 de outubro de 2000.

A queda de Slobodan Milosevic na Iugoslávia

BELGRADO – Dezenas de milhares de opositores iugoslavos invadiram ontem os prédios do Parlamento, da SAJ (temida unidade policial antiterrorista do Ministério do Interior) e da emissora estatal de televisão, exigindo a renúncia do presidente Slobodan Milosevic – acusado de fraudar as eleições de 24 de setembro, vencidas pelo opositor Vojislav Kostunica, para perpetuar-se no poder.

Sob o título de “Iugoslávia vive uma jornada de revolução”, o Estadão relatou a queda do sanguinário Slobodan Milosevic na já então quase extinta Iugoslávia. Mais de 200 mil pessoas nas ruas da capital Belgrado, invasões do Parlamento e da TV estatal, cooptação da polícia e até do exército. Era a gota d’água de um país cansado de guerra, morte, opressão, mentiras.

Eleito presidente da Sérvia em dois mandatos, de 1990 a 1997, Milosevic pretendia se perpetuar no poder da República Federal da Iugoslávia. Teoricamente, já estava garantido no cargo até junho de 2001, mas resolveu antecipar as eleições para setembro de 2000, certo de que seguiria no trono.

Ledo e crasso engano.

Os Bálcãs se transformaram em um inferno graças a ele, principalmente. A Sérvia já vivera o caos na Guerra da Bósnia (1992 a 1996) e seguiu turbulenta com a Guerra do Kosovo. Pra completar, sofria com restrições e sanções econômicas impostas pelos países mais ricos do ocidente. A pobreza, a desordem e a desesperança reinavam e o povo estava exausto de tanta dor.

Já no final da década de 1990, um grupo de jovens se organizou no movimento Otpor! – “resistência”, em sérvio – e começou a demandar a saída de Milosevic do poder. Quando chegou o pleito antecipado pelo presidente, além do Otpor!, a oposição se juntou sob uma coalizão chamada DOS, Oposição Democrática da Sérvia, e lançou o candidato Vojislav Kostunica.

Em 25 de setembro, o DOS se pronunciou vencedor da eleição, com mais do dobro dos votos de Milosevic. No dia seguinte, a Comissão Eleitoral confirmou a vitória, mas disse que não houve maioria, e um segundo turno seria realizado. No dia 5 de outubro, é anunciada a anulação da eleição. Pronto. As ruas de Belgrado foram tomadas por um mar de gente.

“Eu vim para a Praça do Parlamento para pedir o comportamento cívico e pedir que você retorne ao trabalho amanhã, como de costume. Eu sou o presidente da Iugoslávia. Essa vitória é nossa. Ninguém pode tirá-la. Nem mesmo Milosevic”, falou Kostunica, em pronunciamento transmitido pela TV estatal, já sob a direção do povo, à noite.

Era somente o início do fim do ditador Slobodan Milosevic, que renunciou oficialmente no dia 7. Em dezembro, as eleições parlamentares confirmaram a maioria da oposição no legislativo. Em abril de 2001, ele foi preso pela polícia sérvia e, pouco depois, enviado para Haia, onde seria julgado pelo Tribunal Penal Internacional.

Cometeu suicídio em março de 2006, pouco antes da conclusão do julgamento.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Parte final do documentário “The Fall of Milosevic”, da BBC:

Fontes e +MAIS:

Acervo Estadão

Wikipédia

Wikipedia

thenation.com

news.bbc.co.uk

beograd.rs

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.