Morre Charles Schulz, criador do Charlie Brown

Há 15 anos… dia 12 de fevereiro de 2000.

Morre Charles Schulz, criador do Charlie Brown

“No problem is too big to run away from.”

“All you need is love. But a little chocolate now and then doesn’t hurt.”

“Life is like a ten speed bicycle. Most of us have gears we never use.”

“If I were given the opportunity to present a gift to the next generation, it would be the ability for each individual to learn to laugh at himself.”

Charles Monroe Schulz legou ao mundo os imortais personagens dos quadrinhos e frases geniais, espirituosas. Criador da série Peanuts, do Charlie Brown e do Snoopy, colocou nos seus “filhos” boa dose da própria personalidade. Há bastante dele em Charlie Brown, principalmente.

Nascido em Minneapolis (Minnesota), o filho único do alemão Carl Schulz e da norueguesa Dena Halverson pegou gosto pelo desenho desde cedo. Tanto que até ganhou apelido de Sparky, por causa do personagem Spark Plug, um cavalo dos quadrinhos de Billy DeBeck. Passava horas fazendo rabiscos de Spike, o cachorro que inspiraria o Snoopy.

Por estar adiantado na escola, era um dos mais novos da turma, o que resultou em timidez e certo isolamento. A morte da mãe, em 1943, quando ele tinha 19 anos, teve grande impacto em Schulz. Foi para o exército e viu de perto a Segunda Guerra Mundial, outra experiência que o marcaria até o fim da vida.

Na volta do front, Schulz decidiu iniciar a realização de seu grande sonho: virar cartunista. Publica os primeiros quadrinhos, a série Li’l Folks, em 1947. Pouco depois, a vende para a renomada revista Saturday Evening Post.

Em 2 de outubro 1950, nasce Peanuts, que começa publicada em sete jornais ao redor dos Estados Unidos. Schulz nunca imaginaria tamanhos sucesso e identificação do público com Charlie Brown, Snoopy e sua turma.

A grande sacada foi colocar somente crianças, mas com grande profundidade intelectual e emocional. Não há adultos. Peanuts acabou inspirando várias gerações seguintes e Schulz é o “avô” de ótimas criações que viram depois, como Mafalda (de Quino) e Calvin (de Bill Waterson), além da nossa Turma da Mônica, de Maurício de Sousa.

“Queridos amigos, eu tive a felicidade de desenhar Charlie Brown e seus amigos por quase 50 anos. Foi a realização de um sonho de infância. Infelizmente, eu não sou capaz de manter a produção regular que uma tirinha diária demanda, então eu estou anunciando a minha aposentadoria. Eu sou grato à lealdade dos editores por todos esses anos e pelo maravilhosos apoio e amor expressos para mim pelos fãs da série. Charlie Brown, Snoopy, Linus, Lucy… como poderia esquecê-los. Charles M. Schulz”

Na última tira (acima), publicada em 3 de janeiro de 2000, Schulz usou o Snoopy para anunciar a sua aposentadoria.

Em 12 de fevereiro, Sparky morreu dormindo, aos 77 anos. Deixou para cada indivíduo o dom de rir de si mesmo, como gostaria de fazer.

Veja documentário sobre a vida de Charles Schulz:

Fontes:

Wikipedia

Wikipédia

Acervo Estadão

peanuts.com

brainyquote.com

guiadosquadrinhos.com

schulzmuseum.org

huffingtonpost.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.