Ricardo Gomes, 50 anos

13 de dezembro de 1964

Ricardo Gomes, 50 anos

Zagueiro técnico, ótimo com a perna esquerda e no cabeceio, inteligente e de boa leitura tática, mas hesitante com a perna direita e um pouco lento.

Ricardo Gomes Raymundo surgiu em 1983, como uma das promessas do Fluminense, aos 19 anos de idade. Fez parte de um time muito vitorioso do tricolor carioca: tricampeão no Rio (1983, 1984 e 1985) e campeão brasileiro em 1984.

Cinco anos depois, desembarcou em Lisboa para vestir, com sucesso, a camisa encarnada do Benfica. Ao lado de Mozer, formou zaga brasileira entrosada e campeã no time da águia. Conquistou o Campeonato Português em 1989 e em 1991, ano em que rumou para Paris.

No Paris Saint-Germain, virou ídolo e teve ótimos momentos. Junto com Valdo e Raí, levou duas Copas da França (1993 e 1995) e um Campeonato Francês, em 1993.

Ricardo Gomes teve bonita trajetória com a camisa da seleção brasileira. Vestiu a amarelinha em 45 jogos e marcou 4 gols, 3 deles durante as eliminatórias da Copa do Mundo de 1994. Um estiramento na coxa esquerda no último amistoso preparatório (4 a 0 contra El Salvador) a poucos dias da estreia o tirou do mundial dos EUA.

Naquele jogo, tinha a faixa de capitão no braço, como na Copa América de 1989, seu ponto mais alto na seleção. O Brasil de Sebastião Lazaroni se sagrou campeão com vitória por 1 a 0 sobre o Uruguai (gol de Romário), diante de mais de 132 mil pessoas no Maracanã. O capitão camisa 6 ergueu a taça e comandou a volta olímpica no Mário Filho.

A aposentadoria o manteve no futebol. Iniciou a carreira de técnico no PSG, faturando alguns títulos de menor expressão (Copa da França e Copa da Liga Francesa). O primeiro trabalho no Brasil foi no Vitória, em que conquistou a Copa do Nordeste e o Campeonato Baiano, em 1999. Teve passagens por Guarani, Juventude, Coritiba, Fluminense e Flamengo.

Em 2004, porém, o fracasso no comando da seleção olímpica, o levou de novo para o exterior. O bom trabalho no Bordeux, time pelo qual foi vice-campeão francês na temporada 2005/2006 e campeão da Copa da Liga Francesa (2007), chamou novamente a atenção de times brasileiros.

Ricardo Gomes retornou ao País no meio de 2009, para a difícil missão de assumir o São Paulo tricampeão brasileiro de Muricy Ramalho. Apesar de não conquistar títulos, fez ótimo trabalho, mas foi muito criticado por grande parte da torcida (incluindo este que vos escreve!).

O mal-acostumado e impaciente torcedor são-paulino não conseguiu ver virtudes em um técnico sensato, justo e leal. Qualidades que seriam vistas com evidência em seu trabalho no Vasco. Pelo cruzmaltino, Ricardo Gomes conquistou a Copa do Brasil de 2011 e a torcida.

Um AVC sofrido em 28 de agosto de 2011 infelizmente o afastou da função de técnico.  Ele até retornou ao futebol tempos depois, como diretor técnico do Vasco, mas teve de deixar o trabalho para cuidar da saúde.

Hoje, até evita falar sobre futebol, para focar totalmente no tratamento e na fisioterapia. Fica a torcida para que ex-zagueiro que deixou ótima impressão nos gramados e o técnico sensato e gente boa volte ao cenário do esporte e contribua na evolução do futebol brasileiro.

Ricardo Gomes e o título da Copa América de 1989:

Fontes:

Wikipédia

esporte.uol.com.br

terceirotempo.bol.uol.com.br

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.