Histórico “Super Saturday” acontece no US Open

Há 30 anos… dia 8 de setembro de 1984.

Quatro partidas. Três semifinais e uma final.

Duas das maiores rivalidades da História em quadra.

Doze horas de tênis, divididas em 16 sets, 165 games e 979 pontos.

Trinta anos atrás, o US Open viveu o “Super Saturday”. O esporte da bolinha amarela teve, talvez, o seu dia mais espetacular.

Das 11:07 da manhã até às 11:16 da noite, oito tenistas passaram pela quadra central do Louis Armstrong Stadium, em Nova York. Sete seriam, no futuro, imortalizados no International Tennis Hall of Fame. Todos tinham (ou teriam) ao menos um Grand Slam no currículo.

O “Super Sábado” começou com um aperitivo, a semifinal masculina da categoria sênior, acima de 35 anos.

O americano Stan Smith, ex-número 1 do mundo, com títulos do próprio US Open (1971) e de Wimbledon (1972), bateu o australiano John Newcombe, outro ex-número 1 e detentor de 7 Grand Slam: 2 sets a 1, com parciais de 4-6, 7-5 e 6-2. Com experiência e categoria, Smith e Newcombe aqueceram o público presente para o que viria na sequência.

E a sequência foi a primeira semifinal da chave principal masculina. Um jogo de tirar o fôlego.

Então atual vice-campeão em Nova York, o tcheco Ivan Lendl estava confiante na busca de mais uma final nos EUA. Meses antes, tinha conquistado o primeiro Grand Slam da carreira, em Roland Garros.

Do outro lado, porém, havia um tenista tão destemido quanto Lendl, e ainda mais jovem que o tcheco, o australiano Pat Cash, conhecido pelo jogo de saque e voleio, além da faixa quadriculada na cabeça, sua marca registrada.

Em duelo épico e eterno, Lendl precisou virar o jogo e ainda salvar um match point no quinto set, com um lobby de slice improvável. Ao final da odisseia, o tcheco venceu por 3 a 2, parciais de 3–6, 6–3, 6–4, 6–7 (5–7) e 7–6 (7–4).

Nos vestiários do Louis Armstrong Stadium, duas lendas do tênis aguardavam, juntas, para disputar a final feminina. Duas das maiores tenistas de todos os tempos, responsáveis por uma das maiores rivalidades da História do esporte.

Simplesmente, Martina Navratilova e Chris Evert.

Seria a 61ª partida entre elas.  A última pelo US Open. Amigas fora de quadra, Navratilova e Evert protagonizariam mais um jogo memorável. A tcheca naturalizada americana venceria depois de três sets: 4-6, 6-4 e 6-4.

Pra terminar o “Super Saturday”, outra rivalidade: John McEnroe X Jimmy Connors. Os americanos se enfrentariam pela 29ª vez. O vencedor pegaria Ivan Lendl, no dia seguinte.

McEnroe levou a melhor sobre Connors, em encontro outro épico, com quase 4 horas de duração: 3 sets a 2, parciais de 6–4, 4–6, 7–5, 4–6 e 6–3. O título em cima de Lendl seria o último da brilhante carreira do nervosinho, porém, genial John McEnroe.

Mas a história de “Big Mac” a gente conta outro dia… Porque todo dia é histórico, mas dificilmente tão fantástico quanto aquele 8 de setembro de 1984.

O dia do “Super Saturday”.

O último game da final feminina, entre Martina Navratilova e Chris Evert:

Fontes:

Wikipedia

usopen.org

nytimes.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s