Beatles conhecem Bob Dylan… e a maconha!

Há 50 anos… dia 28 de agosto de 1964.

Beatles conhecem Bob Dylan... e a maconha!

É um clássico na biografia dos Beatles. Um hype, um folclore, uma historinha que todo e qualquer beatlemaníaco adora relembrar e recontar.

E foi só hoje, no aniversário de 50 anos da data, que me dei conta do absurdo: o dia em que Bob Dylan apresentou a maconha aos Beatles é, também e infinitamente mais importante, o dia em que os Beatles conheceram Bob Dylan!

Beatles e Bob Dylan!

A historinha sobre a banda, Dylan e a cannabis impressiona os amigos na mesa do boteco, a garota na festinha ou os irmãos mais novos. É cool.

Mas, caramba!, muito, mas muito mais importante é o encontro.

O encontro.

“Olhando em retrospecto, eu ainda vejo aquela noite como um dos grandes momentos da minha vida. Na verdade, eu tinha a consciência de que estava dando início ao encontro mais frutífero na história da música pop, pelo menos até então. Meu objetivo foi fazer acontecer o que aconteceu, que foi a melhor música de nossa época. Eu fico feliz com a ideia de que eu fui o arquiteto, um participante e o cronista de um momento-chave da história.”

Sábias e certeiras palavras do “mentor” da confraternização, o jornalista americano Al Aronowitz.

Alguns meses antes daquele dia, o amigo de Mr. Zimmerman havia entrevistado John Lennon e descoberto a admiração do beatle pelo trovador folk. John venerava e buscava inspiração nas letras de Dylan. Com isso em mente, o jornalista pensou no grande encontro dos “egos iguais”, modo como John se comparava a Dylan.

Durante a segunda turnê dos Beatles pelos EUA, John ligou para Aronowitz, perguntando sobre Bob Dylan. Os Fab Four estavam em Nova York, hospedados no Delmonico Hotel. “Ele está em Woodstock, mas eu posso trazê-lo!”, disse Aronowitz. “Sim, traz já!”, respondeu John.

E assim se deu a reunião que mudou a história da música e da cultura pop.

Ah, sim, a historinha…

Confusão na entrada do hotel, multidão e festa no andar dos Beatles. Afinal, eles estavam na capa da revista Life.

Acompanhado de Aronowitz e do roadie Victor Maimudes, Bob Dylan foi recepcionado pelo empresário Brian Epstein na entrada do quarto. “O que você quer beber?”, perguntou Epstein. “Vinho barato”, respondeu Dylan.

E lá foi Mal Evans, roadie, segurança e faz-tudo da banda, comprar a garrafa do líquido de Baco.

O esperado meeting estava gelado, protocolar. Até que os Beatles perguntaram se Dylan gostaria de tomar umas pílulas. Estavam acostumados aos estimulantes desde os tempos de Hamburgo.

“E maconha?”, retrucou Dylan, recusando. Ao que, para sua surpresa, os Beatles responderam: “Nunca fumamos antes!”.

“Mas e os versos ‘I get high, I get high, I get high’, questionou Dylan, sobre I” Wanna Hold Your Hand”. Encabulado, John corrigiu: “Não. Os versos são ‘I can’t hide, I can’t hide, I can’t hide’…”.

A tensão aumentou, mas Dylan tratou de atenuar tudo acendendo o cigarro que trazia no bolso. Acendeu, instruiu os rapazes de como se fumava, iniciou o ritual e passou para John. Inibido, ele preferiu repassar a Ringo. O baterista gostou tanto que fumou tudo sozinho!

Dylan e Aronowitz confeccionaram outros e cada um teve sua porção. O resultado foi um festival de risadas dos garotos de Liverpool, enquanto Dylan assistia a tudo.

Depois, tanto os Beatles quanto Dylan mudariam suas trajetórias musicais, certamente influenciados por aquela noite.

Mas essa(s) história(s) fica(m) pra outro dia… Porque todo dia é histórico

Na série Anthology, Beatles relembram encontro com Bob Dylan:

Fontes:

beatlesbible.com

folha.uol.com.br

ultimateclassicrock.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.