Rolling Stones lançam Beggars Banquet

Há 45 anos… dia 6 de dezembro de 1968.

Rolling Stones lançam Beggars Banquet

Beggars Banquet é um álbum completo. Ainda que não tente ser um disco conceitual, com temática única, como Sgt. Pepper, consegue atingir suas “bases”. Tudo parte do motivo e tema central da “revolução”, mas não se limita a isso. Na “casa” dos Stones, há muito espaço para groupies, doutores, meninas pervertidas, puzzles e corações partidos também. Mesmo que esses assuntos sejam abafados por “Sympathy for the Devil” e “Street Fighting Man”. Beggars Banquet tende a nos convencer de que os Stones estão certos. Ao colocar todo esse caldeirão temático em um mesmo álbum, os Stones tentam nos dizer que eles pertencem um ao outro. Sim, eles pertencem.

Lançado em 6 de dezembro de 1968, Beggars Banquet é o sétimo disco da cinquentenária carreira da banda que melhor sintetiza o rock and roll. Ou melhor, da maior banda de rock de todos os tempos. Como se lê nas linhas acima, escritas por Jon Landau na Rolling Stone de janeiro de 1969, é um álbum completo. Um disco de puríssimo rock. Em português claro, um puta disco.

É a volta dos Stones ao rock roots, sem firulas ou experimentações vistas no trabalho anterior, Their Satanic Majesties Request, em que a banda flertou com a psicodelia. Beggars Banquet é, literalmente, um banquete aos mendigos, famintos pelo bom e velho rock da dupla Mick & Keith, brilhantemente apoiada pela precisão discreta de Charlie Watts, a polivalência louca de Brian Jones e a marcação suingada de Bill Wyman.

Foi sucesso imediato de público e crítica, que saudou a volta dos Stones à velha forma.

A capa original, com a foto de um banheiro sujo e cheio de pichações obscenas, foi rejeitada na época, tanto pela Decca Records, na Inglaterra, quanto pela London Records, nos Estados Unidos. A fachada branca, uma imitação ao famoso White Album, dos comparsas Beatles, foi a solução à censura das gravadoras. Em 1984, por ocasião do lançamento do CD, o mundo conheceu a capa original.

Beggars Banquet marcou também o início da parceria com o produtor Jimmy Miller, que seria reeditada nos quatro discos seguintes – Let It Bleed, Sticky Fingers, Exile On Main St. e Goats Head Soup -, possivelmente o melhor período da história da banda.

Poucos dias depois do lançamento, a banda gravou um show para a TV, o The Rolling Stones Rock and Roll Circus, com John Lennon, Eric Clapton, The Who e Jethro Tull entre os convidados. O objetivo era promover o novo trabalho, mas o filme só foi lançado em 1996.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Ouça “Street Fighting Man”:

Fontes:

– rollingstones.com

– Wikipedia

– rollingstone.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s