Traficante Pablo Escobar é morto na Colômbia

Há 20 anos… dia 2 de dezembro de 1993.

2dez13

“Subi na vida usando a cabeça, os punhos e o revólver”.

Essa era uma das mais famosas frases de um dos maiores barões de drogas que o mundo já conheceu.

Há 20 anos, uma operação conjunta entre a polícia e o exército da Colômbia, com a ajuda do DEA (Departamento Antidrogas dos Estados Unidos) e da inteligência americana, punha ponto final no império de Pablo Emilio Escobar Gaviria, o famigerado Pablo Escobar.

“El Doctor”, “El Patrón”, “El Señor” ou “Don Pablo”, o Robin Hood de Medellín chegou a controlar 80% do mercado de cocaína de todo o mundo em meados dos anos 1980. Em 1989, a revista Forbes colocava Escobar entre os 10 homens mais ricos do mundo, com fortuna estimada em quase US$ 3 bilhões.

Na época de sua morte, já não tinha o mesmo poder de antes. Em julho de 1992, havia escapado da prisão que ele mesmo construiu, apelidada de La Catedral, com receio de ser extraditado aos Estados Unidos, onde poderia ser julgado e condenado com severa pena. Mesmo enfraquecido, o prêmio por sua cabeça na época era de US$ 6 milhões.

A operação que perseguiu e matou Pablo Escobar durou mais de 18 meses e mobilizou milhares de homens do exército e da polícia da Colômbia.

A interceptação de uma ligação telefônica entre ele e o filho, Juan, possibilitou a localização de seu esconderijo, em um bairro de classe média de Medellín. O barão do tráfico foi encontrado e resistiu à prisão.

Depois de perseguição cinematográfica, ele foi cercado e morto no telhado da casa onde se escondia. Tinha completado 44 anos no dia anterior. Ainda hoje, segue uma figura controversa, adorado por parte da população de Medellín.

Em julho de 1994, o assassinato de outro Escobar iria chocar novamente a cidade de Medellín e o mundo. Poucos dias depois da eliminação da Colômbia na Copa do Mundo dos EUA, o zagueiro Andrés Escobar foi morto por um membro de um dos cartéis da cidade.

Por causa do gol contra na derrota para os anfitriões americanos, na segunda partida da primeira fase, Andrés virou um dos vilões do fracasso colombiano no mundial. Vale assistir ao documentário “Two Escobars”, da ESPN americana, que traça paralelo entre as vidas e os destinos dos dois personagens.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Veja o documentário “Pecados do Meu Pai”, sobre a vida de Pablo Escobar:

Fontes:

Wikipedia

bbc.co.uk

Acervo Estadão

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.