A última vitória de Ayrton Senna

Há 20 anos… dia 7 de novembro de 1993.

7nov13

“Poucas vezes Ayrton Senna terminou uma corrida exprimindo tanta alegria. A vitória, a conquista do vice-campeonato e a confraternização no pódio com o agora aposentado Alain Prost fizeram do brasileiro o centro das atenções do GP da Austrália, no encerramento da temporada.”

Claro que ninguém sabia que aquela seria a última.

Mas existem histórias escritas bem antes do que imaginamos, tal qual o Fla-Flu de Nelson Rodrigues (“O Fla-Flu começou quarenta minutos antes do nada”).

Por vários motivos, o roteiro da última vitória da vida de Ayrton Senna dá um filme.

Um longa-metragem que começa no treino classificatório, em que o tricampeão mundial roubou a cena, conquistou a pole position e impediu a equipe Williams de levar todos os primeiros lugares nas largadas da temporada de 1993.

Alain Prost fez 13 poles no ano e Damon Hill somou outras duas.

Senna quebrou a sequência, com tempo de 1:13.371, quase meio segundo à frente de Prost (1:13.807).

Outro fato curioso – e que deu tempero ao GP – foi a necessidade de três largadas para o início da corrida.

Na primeira, o japonês Ukyo Katayama deixou sua Tyrrell morrer. Em nova tentativa, foi a vez do irlandês Eddie Irvine parar sua Jordan no local errado. Com japonês e irlandês no final do grid, a terceira largada foi bem-sucedida, mas a corrida teve duas voltas a menos (de 81 para 79).

Senna permaneceu na liderança e conseguiu abrir certa distância das Williams de Prost e Hill nas voltas iniciais. Um tal de Michael Schumacher, da Benetton, vinha atrás, na quarta colocação.

O piloto brasileiro só perdeu a liderança entre as voltas 24 e 29, por causa de pit stop. O já tetracampeão Alain Prost ficou em primeiro por cinco voltas, mas não ameaçou a vitória de Senna em nenhum momento.

Ao final, Senna venceu com nove segundos de diferença sobre o francês e outros 24 sobre o terceiro colocado Damon Hill.

Como mostra o relato de Wagner Gonzalez, no caderno de Esportes do Estadão de 8 de novembro de 1993, Senna estava especialmente feliz e emocionado com aquela vitória.

Tinha motivos: era sua última corrida pela McLaren. Uma parceria de seis anos, três títulos e 35 vitórias, 5 na temporada de 1993.

Era também a última vez que corria ao lado e contra Alain Prost, seu rival mais ferrenho na Fórmula 1.

Uma rivalidade que teve bandeira branca em seu capítulo final.

Sereno e magnânimo, Senna abraçou e puxou o francês para o lugar mais alto do pódio.

Uma cena bonita e histórica. A confraternização de dois fantásticos pilotos.

Campeões opostos, porém grandes demais para serem inimigos.

Em 1994, já sem a sombra de Prost, Senna foi para a Williams e nada deu certo. Nada.

Mas essa (triste) história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Veja a última volta e o pódio da última vitória da vida de Ayrton Senna:

Fontes:

Wikipedia

Acervo Estadão

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s