Morre o músico Ed Lincoln

Há 1 ano… dia 16 de julho de 2012.

16jul13

“Ele veio nas águas da bossa nova, uma praia de ondas deliciosamente intermináveis, mas presas às perfeições harmônicas, com professores de violão e letristas pedindo permissão do Itamaraty para compor. Ed Lincoln, saído dos mesmos inferninhos da turma, foi o rei dos bailes dos anos 60. Enquanto a bossa se complicava com o jazz e mais adiante se politizava, ele da vida queria apenas colocar as pessoas para dançar”.

O jornalista carioca Joaquim Ferreira dos Santos foi preciso na definição do instrumentista, compositor e arranjador Ed Lincoln, que morreu há exatamente um ano, por insuficiência respiratória, aos 80 anos.

No artigo de 2009, sob o título de “Sambalanço: Quando é que os críticos vão dançar com Ed Lincoln?”, o jornalista reverencia o talento daquele que foi chamado de “O Rei dos bailes”. Ed Lincoln está naquele rol de artistas brasileiros talentosíssimos, mas, certamente, sem o reconhecimento à altura.

Eduardo Lincoln Barbosa Sabóia nasceu em Fortaleza, em 1932. Antes da música, trabalhou como revisor e redator no Jornal do Povo. Depois, em 1951, se mudou para o Rio de Janeiro.

Começou no baixo, mas logo passou para o piano e o órgão elétrico. Logo, começou a tocar com gente da turma pré-bossa nova, como Johnny Alf e Luiz Eça. Fez parte do conjunto de Dick Farney, outro nome anterior à bossa nova.

Como um dos criadores do Sambalanço, Ed Lincoln virou “O Rei dos bailes” na década de 1960. Na mesma época, foi diretor musical e arranjador da Musidisc, pela qual lançou alguns álbuns.

Arranjou, dirigiu orquestras, produziu, lançou, inovou. Sempre com muita competência, ficou na ativa mesmo depois do acidente sofrido em 1963, que limitou seus movimentos.

Mais recentemente, foi “descoberto” nas pistas da Europa, principalmente da Inglaterra. Virou cult.

Teve até música regravada pelo Furacão 2000!

Mas, essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Ouça “Influência do Jazz” (Carlos Lyra), do disco Ed Lincoln, Seu Piano e seu Orgão Espetacular (Musidisc, 1963):  

Para quem gosta de música, recomendo o canal do YouTube do amigo Marcelo Pinheiro, de onde foi retirado o link acima.

Fonte:

Dicionário cravo Albin da Música Popular Brasileira

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s