Don McLean grava “American Pie”

Há 45 anos… dia 26 de maio de 1971.

“Take it back about 10 years ago, when Buddy Holly died… he was my idle, he was the only idle I’ve ever had… Let’s start off with that! It is a long song…”

A histórica gravação acima mostra criador polindo e dando forma para sua mais famosa criatura.

Don McLean e “American Pie”.

Podemos notar que letra e melodia ainda não eram as finais, mas Buddy Holly está lá. “Ele era meu ídolo, o único ídolo que tive”, diz. Ao final da performance, com os colegas surpresos (“Que ‘dinamite’!”, se espanta um deles), Don explica: “Começa com ele, mas recapitula uma década de música”.

Dez anos de música, desde 3 de fevereiro de 1959, o “Dia em que música morreu”, até o final dos 1960, início dos 1970. Uma canção com inúmeras referências da cultura pop, até hoje reinterpretadas e revisadas.

Os Beatles, os Stones, Elvis, Sgt. Pepper’s, Bob Dylan, James Dean, Janis Joplin, Charles Manson, John e Bob Kennedy, Martin Luther King… Nos links abaixo, textos e mais textos com análises da letra e até teorias conspiratórias!

Em 2015, por ocasião do leilão dos manuscritos originais de “American Pie”, o próprio Don McLean revelou alguns significados. Disse que é uma “canção sobre moralidade”, um grito sobre a transição de tempos inocentes para turbulentos, na música e na política.

Don McLean grava "American Pie"

Especulações à parte, o fato é que 45 anos atrás ele entrou no estúdio para registrar o maior hit da carreira. Número 1 nos Estados Unidos, Austrália, Canadá, Nova Zelândia, número 2 no Reino Unidos. Até hoje, a música mais longa a estar no Billboard Hot100 – 8 minutos e 36 segundos.

Outra curiosidade diz respeito ao coral, ao final de “American Pie”. Um time peso-pesado com James Taylor, Carly Simon, Pete Seeger e Livingston Taylor. “Realmente, eram só feras. Deveria ter tirado uma foto”, disse o produtor Ed Freeman.

Aliás, ele e Don McLean não se bicavam. “Tínhamos uma relação tempestuosa”, lembra o produtor. Ele se recorda que a versão final dos vocais tem 24 takes diferentes reunidos. Tudo porque Don acusou o golpe de um crítico, que tirou sarro de seu jeito monótono de cantar.

Então, ele decidiu interpretar a música de uma forma mais informal e improvisada, variando os vocais. Não deu certo. Freeman acabou reunindo as melhores partes. O produtor diz que Don não ficou muito feliz com a interferência e ingerência, mas muito satisfeito com o resultado final.

“American Pie” colocaria Don McLean no topo, o que acabaria por trazer muitos problemas. E ele nunca repetiria o sucesso da épica música…

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

“American Pie”, a original:

Fontes e +MAIS:

Wikipedia

songfacts.com

– don-mclean.com

– yahoo.com

– mixonline.com

telegraph.co.uk

– missamericanpie.co.uk

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.