Motown começa primeira turnê no Reino Unido

Há 50 anos… dia 20 de março de 1965.

Motown começa primeira turnê no Reino Unido

Em 1964, Beatles e Rolling Stones puxaram a fila da British Invasion em solo norte-americano. Os garotos de Liverpool tiveram êxito extraordinário de imediato, enquanto a banda de Mick & Keith precisou de mais uma turnê para alcançar a aclamação na Terra do Tio Sam.

Em março de 1965, uma turma da pesada do R&B e do soul, que já estremecia as bases da música americana, fez caminho inverso. Sucesso absoluto em casa, queria mostrar a cara na Terra da Rainha.

Então, no dia 19, o avião com The Supremes, The Miracles, Stevie Wonder (com 14 anos!), The Temptations, Smokey Robinson e Martha and the Vandellas aterrou no Heathrow, em Londres. No dia seguinte, a trupe da Motown de Berry Gordy iniciou turnê de 21 dias ao redor do Reino Unido.

Sucesso de crítica, fiasco comercial. Difícil de acreditar, se pensarmos nos nomes acima, mas o tour não arrastou multidões aos 20 lugares diferentes em que esteve, tampouco causou grande alvoroço na imprensa.

Explica-se: à época, artistas da Motown somavam apenas dois hits no top10 britânico (“My Guy”, de Mary Wells, e “Where Did Our Love Go”, das Supremes) e somente um #1, a insinuante “Baby Love”, também do trio liderado por Diana Ross.

Londres, Glasgow, Cardiff, Leeds e Manchester foram algumas cidades a recepcionar os artistas da gravadora. O especial “The Sound of Motown”, do programa Ready Steady Go!, de Dusty Springfield, alavancou a turnê mais do que os próprios shows.

Ao fim e ao cabo, o resultado foi satisfatório, ao menos para o chefão da gravadora. O objetivo principal de lançar a marca da Tamla-Motown no Velho Continente foi alcançado. O giro na Grã-Bretanha gerou exposição do que era a Motown e a música negra americana. Foi um marco importantíssimo na história da gravadora.

O tour também deixaria fãs na Ilha do Norte. Pouco depois da passagem da Motown, uma banda que despontava, de um baterista meio maluco de nome Keith, um vocalista babyface chamado Roger e um guitarrista narigudo batizado Peter gravaria cover de “Heatwave”, de Martha and the Vandellas.

A ponte rock-soul e UK-USA estava formada. E geraria novos frutos no futuro. Amy Winehouse que o diga!

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Trecho do especial “The Sound of Motown”: 

Fontes:

classic.motown.com

independent.co.uk

theguardian.com

goldminemag.com

theconcertdatabase.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.