O show do Barça de Ronaldinho Gaúcho no Bernabéu

Há 10 anos… dia 19 de novembro de 2005.

O show do Barça de Ronaldinho Gaúcho no Bernabéu

“Baño Histórico”, estampou o Mundo Deportivo, principal jornal de esportes da Catalunha, na edição de 20 de novembro de 2005. Na foto, o punho cerrado de um escondido Samuel Eto’o, coberto pelos abraços do jovem Lionel Messi e do astro do jogo, Ronaldinho Gaúcho.

Foi, de fato, um banho histórico. Os galácticos do Real Madrid tiveram de se render ao insinuante e avassalador Barça. A torcida merengue reconheceu o baile blaugrana e se levantou para aplaudir o camisa 10 do rival, como fizera com Maradona, 12 anos antes. Era a única coisa a fazer.

Bem, depois a massa madridista ainda ecoou um irascível e uníssono “Fuera! Fuera!”. Um recado direto e reto para Vanderlei Luxemburgo. Alguns dias depois, a passagem de “Luxe” teve um ponto final.

A noite no Santiago Bernabéu foi (quase) toda de Ronaldinho Gaúcho. O dentuço liderou a atuação de gala do Barça de Frank Rijkaard, coadjuvado por um sempre infalível Eto’o e um baixinho e cabeludinho que despontava como craque. Um argentino chamado Lionel Messi, que fazia o primeiro El Clásico da carreira.

“Ronaldinho irradiou alegria, sorriu e se divertiu enquanto recebia os aplausos de um público que desejou que ele fosse um deles. O poder realmente mudou de mãos na Espanha”, escreveu Simon Talbot, no Guardian, dois dias depois do recital.

Fato. Ali, saíam de cena os galácticos de Florentino Pérez e se afirmavam os ideais que formariam dois grandes e históricos esquadrões do Barcelona, primeiro com Ronaldinho, Eto’o, Deco, Xavi e Cia., depois com Messi, Iniesta e, claro, Pep Guardiola.

E poderia ter sido mais! Dá uma olhada nos melhores momentos ali embaixo… No primeiro tempo, depois do gol inaugural de Eto’o, em jogada de Messi, Casillas salvou pelos menos mais três oportunidades claras: uma do camaronês, outra do argentino e mais uma de Gaúcho.

Na etapa final, o goleiro do Real ainda impediu outro tento de “La Pulga” (seria o primeiro dos 21 que ele marcou em 30 partidas contra o rival – o maior goleador do clássico). Teve também um pênalti de Roberto Carlos em Eto’o, fora do lance e ignorado pelo árbitro.

Então, Ronaldinho entortou Sérgio Ramos e Helguera duas vezes, aos 15 e aos 33, e os catalães colocaram os anfitriões no bolso e na roda. Luxemburgo até tentou alguma coisa, colocou o tanque Júlio Baptista para brigar no ataque, mas não adiantou. A noite era azul-grená.

Cinco anos depois, dessa vez com Guardiola no banco e Messi como protagonista, o Barcelona deu nova aula de futebol e assombrou o mundo ao aplicar nada mais nada menos que 5 a 0 no Real Madrid de Cristiano Ronaldo e José Mourinho. E o Camp Nou aplaudiu e festejou como nunca!

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Gols e melhores momentos, com narração da rádio Cadena Ser:

Fontes e +MAIS:

– Acervo Folha

– blogdojuliogomes.blogosfera.uol.com.br

– esporte.uol.com.br

– espn.uol.com.br

– globoesporte.globo.com

– mundodeportivo.com

– independent.co.uk

– theguardian.com

– fcbarcelona.es

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s