Suzanne Vega lança o primeiro álbum

Há 30 anos… dia 1º de maio de 1985.

Suzanne Vega lança o primeiro álbum

(Antes de “Luka”!)… 

“Os céticos executivos da A&M Records estavam esperando vender 30 mil cópias. 1 milhão de discos depois, era claro que a voz de Suzanne ressoava ao redor do mundo”.

O trecho da biografia no site oficial dá a medida do sucesso da estreia de Suzanne Vega, há exatos 30 anos. O primeiro álbum teve ótima recepção de críticos e do público em geral, tanto nos Estados Unidos quanto na Europa.

O violão acústico a tiracolo e o estilo folk logo levaram à inevitável comparação com Joni Mitchell. Equivocada ligação, no entanto, como confirma a resenha do jornalista e renomado crítico musical David Fricke, na Rolling Stone de julho de 1985:

“O atual renascimento da cena folk de Nova York tem muito a ver com este álbum – Suzanne Vega é o primeiro grande lançamento da nova safra de trovadores do Greenwich Village. Mas Vega – uma veterana compositora da Fast Folk – tem ligação mais rasa com o estilo. Sua essência lírica não alcança o início de Joni Mitchell, com seus romances complicados e suas fantasias sonhadoras.”

Em resenha bem posterior ao lançamento de Suzanne Vega, William Ruhlmann, do allmusic.com, concorda com Fricke. “Ainda que as primeiras comparações tenham feito conexão com Joni Mitchell, os verdadeiros antecessores de Suzanne Vega são Janis Ian e Leonard Cohen”.

Fricke e Ruhlmann também convergem, cada um à sua maneira, nas opiniões sobre a qualidade do primeiro álbum de Suzanne.

“Apesar de seus ocasionais enigmas líricos, Suzanne Vega é um álbum notável, por causa do poder discreto com o qual expande a tradição do folk. As esperanças e orações dos saudosistas se apegam nela, mas Suzanne Vega já está deixando-os para trás”, crava Fricke.

“As dez canções em Suzanne Vega constituem a auto-análise de uma jovem mulher que deseja posse sem oferecer compromisso; não é de se admirar que, após o seu lançamento, o disco atingiu em cheio os corações de mulheres jovens em todo o país e na Europa”, sublinhou Ruhlmann.

Com Solitude Standing,dois anos depois, Suzanne Vega confirmaria o caminho mais ao pop-rock e chegaria ao momento máximo de sua carreira.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

O clipe de “Marlene on the Wall”:

Fontes:

Wikipedia

allmusic.com

suzannevega.com

vanityfair.com

web.archive.org

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.