“A Noviça Rebelde” tem première em Nova York

Há 50 anos… dia 2 de março de 1965.

“A Noviça Rebelde” tem première em Nova York

Amor e ódio.

“A Noviça Rebelde” despertou, desperta e sempre despertará sentimentos extremos, radicais, opostos.

Amantes e haters. Fãs e detratores.

Escreveu hoje Noo Saro-Wiwa, no Guardian: “‘A Noviça Rebelde’, 50 anos completados hoje, tem seus fãs e seus inimigos, e os dois lados formam ramos da humanidade que nunca se reconciliarão”.

Foi assim também na época do lançamento, meio século atrás.

Bosley Crowther, do New York Times, criticou o “romantismo e o sentimentalismo nonsense” do filme, os “papéis artificiais” das crianças e a direção “brega e melosa” de Robert Wise. Poupou Julie Andrews, a quem avaliou como “brava e alegre”, mas castigou as performances dos outros atores adultos, classificando-as como “horrendas, especialmente Christopher Plummer como Capitão von Trapp”.

Judith Crist, do New York Herald Tribune, qualificou o longa como “pegajoso”.

A feroz crítica Pauline Kael julgou a produção como “mecanicamente construída” e que transforma a plateia em “imbecis emocionais e estéticos, principalmente quando nos ouvimos cantarolando as doentias e bobinhas canções”.

Já Philip K. Scheuer, do Los Angeles Times, saudou o filme como “três horas de brilhantismo vocal e visual”.

O Daily Variety fez coro: “um drama cativante, caloroso e pulsante, com imaginativo e cadenciado uso das músicas de Rodgers e Hammerstein, magnificamente montado e com elenco brilhante”.

Talvez o mundo esteja realmente dividido entre amantes e inimigos de “Sound of Music”.

Bem, este escriba aqui é do time dos amantes. E, como todo amante, tem alguma memória afetiva, algo que desperte um sentimento no peito.

Pra mim, “Noviça” será sempre o filme da minha família. Dos meus quatro irmãos, Rodrigo, Beatriz, Marina e Felipe. Dos meus pais, Neta e Roberto. Eu sempre vou lembrar de cada um deles. E sempre vou me emocionar ao rever. Vou rir, chorar e cantar junto.

E “meu coração será abençoado com a força da música… E eu vou cantar mais uma vez”.

“My heart will be blessed with the sound of music and I’ll sing once more”

A linda abertura do filme:

+MAIS:

IMDb

Wikipedia

vanityfair.com (entrevista imperdível com Julie Andrews e Christopher Plummer!)

usatoday.com

edition.cnn.com

time.com

abcnews.go.com

theguardian.com (texto de Noo Saro-Wiwa!)

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.