Lincoln discursa na Cooper Union, em Nova York

Há 155 anos… dia 27 de fevereiro de 1860.

Lincoln discursa na Cooper Union, em Nova York

“Na Cooper Union, Lincoln se tornou mais do que uma curiosidade regional. Virou um líder nacional.”

A afirmação é de Harold Holzer, maior estudioso da vida de Abraham Lincoln.

No dia 27 de fevereiro de 1860, na novíssima Cooper Union, diante de seleta plateia da elite industrial e política de Nova York, nascia o futuro presidente, o futuro estadista.

A ovação unânime e ensurdecedora que recebeu ao final foi o reconhecimento para trabalho minucioso na construção do longo discurso, com mais de 7 mil palavras. Com o esmero de um ourives, Lincoln concatenou oratória solidamente lógica e precisa, de linguagem simples e eficaz coesão de raciocínio.

“Em alguns aspectos, é como o resumo de um advogado: lógico, no tom certo, poderoso – irresistivelmente conduz convicção para as razões e as almas dos homens”, disse William Herndon, advogado e futuro biógrafo de Lincoln. Herndon acompanhou a transpiração de Lincoln na confecção da palestra. “Nenhum outro discurso custou tanto empenho, tempo e raciocínio de Lincoln como este”, afirmou.

Tudo começou em outubro do ano anterior, 1859, quando Lincoln aceitou discursar em Nova York. Foram meses de pesquisa e estudo. Afinal, o tema central, delicado, espinhoso, ardiloso, estava na agenda do momento, era a “questão viva do dia”, na definição do próprio, e requeria muito cuidado: a escravidão.

Pois Lincoln recorreu à Carta Magna, à Constituição e aos Founding Fathers para sedimentar a premissa de sua retórica e ganhar sua audiência por completo.

“A soma do todo é, de nossos trinta e nove pais que emolduraram a Constituição original, vinte e um – uma clara maioria do todo – certamente entenderam que nenhuma divisão adequada do local a partir de autoridade federal, nem qualquer parte da Constituição, proibiu o Governo Federal em controlar a escravidão nos territórios federais”.

Pronto.

Verdade que o início claudicante, tenso e desajeitado de Lincoln provocou espanto geral.

“Quando Lincoln se levantou para falar, fiquei muito decepcionado. Ele era alto, alto, – tão alto, desajeitado e esquisito que, por um instante, tive sentimento de piedade por um homem tão deselegante!”, teria dito uma testemunha do evento.

“No entanto, uma vez que Lincoln se acalmou, com o rosto iluminado como com um fogo interior, o homem inteiro ficou transfigurado. Eu esqueci suas roupas, sua aparência pessoal, e suas peculiaridades individuais Assim, esquecendo de mim, estava de pé, como o resto, gritando como um índio selvagem, aplaudindo este homem maravilhoso”.

Horace Greeley, um dos fundadores do recém-nascido Partido Republicano e editor-chefe do New York Tribune, escreveu: “Um dos argumentos políticos mais felizes e mais convincentes já feitos nesta cidade. Nenhum homem jamais causou tal impressão em seu primeiro discurso para um público de Nova York”.

Meses depois, Abraham Lincoln venceria as disputas internas contra William Seward e seria indicado o candidato dos republicanos na eleição de novembro, no enfrentamento com o democrata Stephen Douglas.

Seria eleito o 16º presidente dos Estados Unidos.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Ouça o (longo) discurso de Abraham Lincoln:

Fontes:

Wikipedia

abrahamlincolnonline.org

constitution.org

iipdigital.usembassy.gov

internacional.estadao.com.br

americanheritage.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s