Brasil x Chile, o jogo de Rojas e Rosenery

Há 25 anos… dia 3 de setembro de 1989.

Brasil x Chile, o jogo de Rojas e da fogueteira

Nas arquibancadas, 141.072 pessoas criavam o clima otimista e festivo necessário. Entre eles, Rosenery Mello (nenhum parentesco com este escriba!).

No campo, 22 jogadores demonstravam a tensão e o foco que o duelo exigia. Entre eles, Roberto Rojas.

Naquele 3 de setembro de 1989, os destinos de Rosenery e Rojas se encontraram no Maracanã.

Brasil e Chile entraram no gramado para decidir quem iria para a Copa do Mundo de 1990. Empatados na liderança do grupo 3 das eliminatórias sul-americanas, definiriam o seu destino no Maior do Mundo.

A seleção brasileira de Sebastião Lazaroni tinha a vitória e o empate ao seu lado, enquanto os chilenos comandados por Orlando Aravena teriam de vencer para ir ao Mundial, o que não acontecia desde 1982.

Pra colocar mais pimenta no caldeirão, haviam protagonizado jogo cercado de tensão, catimba e violência, semanas antes, em Santiago. Romário foi expulso com menos de 3 minutos, assim como Ormeño, aos 13. No fim, 1 a 1, com pouco futebol.

Quando o argentino Juan Loustau trilou o apito no Rio de Janeiro, a seleção se lançou ao ataque como se não houvesse amanhã, empurrada pela massa no velho Maraca.

Com o 3-5-2 europeu de Lazaroni, Jorginho e Branco se tornavam alas ofensivos, amparados pelos zagueiros Aldair, Mauro Galvão e Ricardo Gomes, além de Dunga. No quarteto de frente, Silas, Valdo, Bebeto e Careca.

Do outro lado, Roberto Rojas. Parede instransponível, o goleiro não permitiu o gol brasileiro no primeiro tempo.

No início da etapa final, porém, não conseguiu evitar que o chute de esquerda de Careca passasse pela linha fatal e beijasse as redes: Brasil 1 a 0. A seleção estava na Copa da Itália.

Vinte minutos depois, Rojas foi o protagonista de uma farsa. Um triste episódio que arruinou sua carreira.

Tudo começou quando um sinalizador foi atirado no gramado, dentro da grande área de Rojas, bem próximo do arqueiro chileno. As câmeras de TV não conseguiram captar o exato momento em que o rojão caiu perto do goleiro, que já estava estatelado no campo.

Os chilenos se aglomeraram em volta de Rojas e chamaram atendimento médico, enquanto os brasileiros não sabiam ao certo o que se passara e se passava. As imagens mostravam muito sangue no rosto e na camisa do goleiro.

De repente, o técnico chileno mandou o time sair de campo. O juiz aguardou alguns minutos e determinou o fim da partida.

Rosenery Mello foi identificada como a responsável pelo lançamento do sinalizador e acabou presa.

Todos se perguntavam o que tinha acontecido. Ninguém sabia se o Brasil estava classificado na Copa.

No dia seguinte, o jornal O Globo publicou foto mostrando que o foguete tinha caído bem longe de Rojas. A farsa começava a ser desmontada.

A FIFA acabou penalizando o Chile por abandono de campo e confirmou vitória de 2 a 0 para o Brasil, que estava, portanto, classificado.

Após investigação que teve até exame de corpo de delito em Rojas, a entidade máxima do futebol baniu o goleiro do esporte, além do técnico Orlando Aravena, do médico da seleção chilena Daniel Rodríguez e do dirigente Sergio Stoppel. O zagueiro Fernando Astengo recebeu suspensão de 4 anos, pena aplicada também à Federação Chilena de Futebol, que acabou fora da disputa das eliminatórias para a Copa de 1994.

Rosenery Mello foi inocentada e acabou ganhando seus 15 minutos de fama. Dois meses depois, foi capa da Playboy. Ficou nacionalmente conhecida como a “Fogueteira do Maracanã”. Faleceu em 2011, aos 45 anos.

Depois do perdão da FIFA, Roberto Rojas virou treinador de goleiros do São Paulo em 2001. Chegou a dirigir o time principal com muito sucesso em 2003, junto com Milton Cruz. Levou o clube de volta à Copa Libertadores depois de 10 anos. Hoje, passa por drama pessoal. Com hepatite C, espera por um transplante de fígado.

A seleção brasileira faria campanha pífia na Copa de 1990, eliminada nas oitavas de final pela Argentina.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Os lances e os desdobramentos de Brasil x Chile:

Entrevista de Rosenery Mello:

Fontes:

– Wikipédia

– globoesporte.globo.com

  • Livro Todos os jogos do Brasil, de vários autores
Anúncios

Um comentário sobre “Brasil x Chile, o jogo de Rojas e Rosenery

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s