Morre o tecladista Jon Lord, do Deep Purple

Há 5 anos… dia 16 de julho de 2012.

“Mais que um grande músico, o britânico Lord foi um pioneiro na fusão do rock com a música clássica, vertente do rock que ele ajudou a popularizar”, escreveu André Barcinski, na Folha.

“Seus riffs de órgão criaram composições referenciais do gênero, como Highway Star, Lazy e Child in Time”, pontuou Jotabê Medeiros, no Estadão.

Pioneiro na fusão do rock com o erudito, criador de riffs imortais no órgão, grande responsável por alçar o instrumento a protagonista dentro de uma banda de rock, desafiando até a guitarra.

Este é Jonathan Douglas Lord, ou simplesmente Jon Lord, um nome absolutamente fundamental na História do bom e velho.

Cinco anos atrás, um dos fundadores do Deep Purple fez a viagem da “Escuridão para a Luz”, como sintetizou breve comunicado da família.

Natural de Leicester, Inglaterra, Jon Lord revolucionou o som dentro do rock. Teve o clique de plugar o Hammond em amplificadores Marshall e, assim, criar a sonoridade pesada para competir com a guitarra.

“Por adorável que fosse o som, não era exatamente o que queria. Podia identificar outro na minha cabeça – algo mais bruto, mais gutural. Então você coloca em um alto-falante. Era como se uma grande besta tivesse saído dos Marshall”, explicaria, em uma de suas últimas entrevistas, em 2011.

Para perceber o que Lord fala, basta ouvir Deep Purple em qualquer fase. Ele ficou na banda que ajudou a criar de 1968 e 1976, e depois, na fase final, de 1984 a 2002. Foi co-autor de muitos dos maiores hits, como o hino “Smoke on The Water”.

Lord liderou o grupo no primeiro álbum, o ousadíssimo Concerto for Group and Orchestra (1969), uma bela peça de rock e clássico, em parceria com a Royal Philharmonic Orchestra de Londres. É um embrião do progressivo e de bandas como Yes e Emerson, Lake & Palmer. Vale ouvir!

Antes do Purple, iniciara a estrada como bem-sucedido músico de estúdio. Sempre afirmou, com total certeza, ser dele o teclado em “You Really Got Me”, sucesso dos Kinks. Confirma, também, que Jimmy Page foi o autor do solo de guitarra…

Entre 1976 e 1978, formou o Paice Ashton Lord, ao lado de Ian Paice e Tony Ashton. Também fez parte do Whitesnake no fim dos 70, início dos 80, junto do amigo David Coverdale, de quem também foi parceiro no próprio Deep Purple.

Também tem ótimos trabalhos solo, como Gemini Suite, de 1972, com participações de membros do Purple.

Grande músico, essencial na História do rock e, acima de tudo, um gentleman, como lembrou Jotabê Medeiros na abertura do texto do Estadão.

Este foi Jon Lord.

Compilação de solos:

Outra:

Gemini Suite, o primeiro álbum solo:

Fontes e +MAIS:

– Wikipedia

– Wikipédia

– jonlord.org

– Acervo Folha

– Acervo Estadão

– bbc.com

– theguardian.com

– telegraph.co.uk

– nytimes.com

– washingtonpost.com

– nme.com

– ultimateclassicrock.com

– rollingstone.com

– gramophone.co.uk

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s