Orlando Magic fica com Shaquille O’Neal no draft

Há 25 anos… dia 24 de junho de 1992.

“Como assim? Eu, a primeira escolha?”

Bem à sua maneira, irreverente e descontraída, o gigante pivô de 2,16m brincou e fingiu surpresa quando David Stern o anunciou como o first pick. O destino: Flórida!

Destino conhecido mais de um mês antes, em 17 de maio, quando, para surpresa de todos – inclusive de Pat Williams, chefão do Orlando Magic -, a franquia da Terra do Mickey Mouse venceu a loteria do draft de 1992 e conseguiu o que todos queriam: Shaquille O’Neal.

“O que mais me lembro é estar sentado naquela mesa, com outros 11 executivos ou representantes, e embaixo da mesa, todos os onze tinham camisas com o nome de Shaquille O’Neal”, relembra Williams (ver vídeo abaixo).

A comoção no QG do time na Flórida foi geral, como conta a reportagem do Orlando Sentinel. O principal jornal da cidade ofereceu cobertura especial do evento na edição de 18 de maio, revelando detalhes das reações dentro da sede da franquia.

“O treinador Matt Guokas, que raramente mostra muita emoção, parecia ter ganho US$ 5 milhões de alguém”, escreveu Tim Povtak.

“Guokas se levantou e abraçou John Gabriel, diretor de staff. Todos ao redor deles estavam pulando e comemorando. Guokas estava radiante como nunca esteve em seus três anos como treinador do Magic. Gabriel voltou-se para a esposa, Dorothy e perguntou: ‘Isso realmente aconteceu?’”.

Todos sabiam do enorme talento de Shaq que, como bem pontuou o Sentinel logo no início da matéria principal, era considerado por Larry Bird o segundo melhor jogador do mundo. (Em se tratando de Bird, fica a dúvida de quem julgava o maior: Jordan ou ele próprio!).

Voltando ao draft de 1992, além do astro da Louisiana State University, outros nomes de peso saíram daquela escolha.

Alonzo Mourning, por exemplo, foi de Georgetown para iniciar a brilhante trajetória na liga pelo Charlotte Hornets. Ele se encontraria com Shaq no Miami Heat em 2005. No ano seguinte, a dupla liderou a franquia ao primeiro título.

Outros “despontaram para o anonimato”, como diria Nelson Rodrigues. Quem se lembra do “Baby Jordan” Harold Miner, a 12ª escolha? O apelido foi tão prejudicial que Miner jogou apenas quatro temporadas na NBA, se destacando somente no Campeonato de Enterradas, do qual saiu vencedor em dois anos (1993 e 1995).

O Orlando Magic ganharia novamente a primeira escolha do draft de 1993, o que provocaria revolta geral dos donos das outras franquias e levaria a liga a mudar o sistema de loteria.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

A loteria:

O draft:

Fontes e +MAIS:

– nba.com

– Wikipedia

– basketball-reference.com

– orlandosentinel.com

– nbaobserver.wordpress.com

– zh.clicrbs.com.br

 

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s