A virada de Bruce Springsteen

 Há 40 anos… dia 13 de agosto de 1975.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Tudo já foi escrito antes – as comparações com Dylan (inclusive aqui), as acusações de que seu sucessor está em um circuito entre a Filadélfia, Washington e Nova York, a pouca vendagem de seus dois primeiros discos (mesmo que tenham recebido boas críticas) e os boatos de que ele está cada vez mais insatisfeito com sua gravadora (Columbia).

Fato, tudo isso faz parte dos últimos três anos de Bruce Springsteen no mainstream da cena musical. Mas, a julgar pela noite de abertura aqui em 13 de agosto e a empolgação local gerada pelas subsequentes apresentações nas outras cinco noites, chegou o momento de arquivar tudo isso no passado, o tipo de coisa que vira bobagem perto do que há pela frente”.

Jim Melanson acertou em cheio. A crítica na Billboard de 30 de agosto de 1975 captou com extrema sensibilidade e perspicácia o ponto de virada na carreira de Bruce Frederick Joseph Springsteen, ou simplesmente Bruce Springsteen. O futuro “The Boss”.

Dois álbuns bem recebidos pela crítica, porém mal vendidos. A luta constante e difícil para se desvencilhar da comparação com Dylan. A insatisfação com a Columbia. A árdua produção do próximo disco, que já se arrastava havia mais de um ano. Tudo parecia empacado.

Ele precisava do palco. Aquele lugar mágico em que se sentia tão bem. O espaço em que ele transcendia, em shows infinitos, happenings históricos, performances memoráveis. A sua ágora. O seu agora.

De 13 a 17 de agosto de 1975, Bruce Springsteen teve no Bottom Line, em Nova York, mais do que um palco. Ali, tudo virou. Ali, tudo fez sentido. Ali, começou, de fato, sua carreira. Ali, chegava, finalmente, o momento de arquivar tudo, como bem escreveu Melanson.

Dez shows em cinco dias, dois por noite. Mais de 400 espectadores por apresentação. Filas e mais filas na porta, todos os dias.

Não à toa, a Rolling Stone elegeu aquelas apresentações no Bottom Line como um dos “50 Momentos Que Mudaram o Rock And Roll”.

Em 25 de agosto, chegava às lojas Born to Run. Sucesso imediato de crítica e vendas.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

O segundo show do dia 13, na íntegra:

Fontes e +MAIS:

– brucespringsteen.net

– Wikipedia

– brucebase.wikispaces.com

– collectorsmusicreviews.com

– rollingstone.com

– justiceiscoming.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s