Ernest Hemingway ganha Nobel de Literatura

Há 60 anos… dia 28 de outubro de 1954.

Ernest Hemingway ganha Nobel de Literatura

“Por seu poderoso domínio da arte da narração moderna, mais recentemente evidenciado em O Velho e o Mar, e pela influência que exerceu sobre o estilo contemporâneo”.

Foram as palavras da comissão do Nobel para justificar a entrega do Prêmio de Literatura de 1954 a Ernest Miller Hemingway.

Foi em tempo. Depois da história sobre o pescador Santiago, ele não publicaria nenhum livro em vida. O suicídio, em 1961, daria fim à trajetória não somente de um dos grandes escritores do século XX, mas de um personagem e testemunha daqueles tempos turbulentos.

Nascido em 1899, em Illinois, Estados Unidos, Hemingway esteve na Primeira e Segunda Guerra, e também na Guerra Civil Espanhola. As experiências no front marcaram seu caráter e, certamente, seu estilo. Econômico, seco, com um poder de síntese fora do comum, Hemingway influenciou e segue influenciando.

O Velho e o Mar, sua obra-prima, é daqueles livros fundamentais, pra ser lido e relido sempre. A história de Santiago e a luta contra um enorme peixe sintetiza o que foi Ernest Hemingway.

“Tudo o que nele existia era velho, com exceção dos olhos que eram da cor do mar, alegres e indomáveis.”

Morando em Cuba – de onde tirou inspiração para a história de O Velho e o Mar – e abalado física e psicologicamente por causa de dois graves acidentes aéreos na África, Hemingway não foi a Estocolmo receber o prêmio, em dezembro. Mas mandou gravação de um discurso, em que dizia, entre outras coisas, o que segue:

“Escrever, em essência, é uma vida solitária. Organizações para escritores aliviam a solidão do escritor, mas duvido que melhorem sua escrita. Ele cresce em fama na medida em que divide sua solidão, mas, muitas vezes, seu trabalho se deteriora. Porque ele faz seu trabalho sozinho e se ele é um escritor bom o suficiente, deve enfrentar a eternidade, ou a falta dela, a cada dia”.

Em 2 de julho de 1961, Hemingway se matou, com um tiro na cabeça.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

De Cuba, Hemingway fala sobre o Nobel:

Fontes:

Wikipedia

nobelprize.org

nytimes.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s