Boca Juniors é campeão invicto da Libertadores

Há 35 anos… dia 28 de novembro de 1978.

28nov13

Uma campanha curta, porém perfeita.

O Club Atlético Boca Juniors precisou de apenas seis partidas para conquistar o bicampeonato da Copa Libertadores da América. No dia 28 de novembro de 1978, quatro vitórias e dois empates depois, o time xeneize se consagrou como o quinto clube a vencer o torneio de forma invicta.

Antes, somente Peñarol-URU (1960), Santos (1963), Independiente-ARG (1964) e Estudiantes-ARG (1969 e 1970) tinham sido campeões da América sem perder um jogo sequer. Uma campanha perfeita só voltaria a acontecer em 2012, no indiscutível e inédito título do Corinthians, coincidentemente em cima do próprio Boca.

Aquele Boca do final dos anos 1970 era fortíssimo. Campeão argentino em 1976, começou o caminho para a futura soberania na Libertadores em 1977, com a primeira de um total de seis conquistas. Comandados pelo mítico Juan Carlos Lorenzo, os argentinos levaram a taça com apenas uma derrota em 13 jogos. Foram superados somente uma vez, em um dos três jogos do duelo final contra o Cruzeiro.

Detentor do troféu, o Boca entrou na edição de 1978 já na segunda fase, uma semifinal entre três times, disputada em jogos de ida e volta. Os adversários eram fortíssimos: o maior rival, River Plate, e o Atlético Mineiro, vice-campeão brasileiro em 1977.

A equipe de Lorenzo estreou com um empate sem gols na Bombonera, diante do River, no dia 19 de setembro. No dia 24, uma vitória expressiva no Mineirão mostrava que os xeneizes não estavam pra brincadeira. Em 5 de outubro, nova vitória sobre os brasileiros: 3 a 1, em Buenos Aires. O triunfo por 2 a 0 contra o River, em pleno Monumental de Nuñez, no dia 17, confirmou o Boca na decisão pela segunda vez consecutiva.

Na final, a esquadra boquense encarou o colombiano Deportivo Cali, então dirigido pelo argentino Carlos Bilardo, que depois seria o comandante do bicampeonato mundial dos hermanos, na Copa de 1986. Era a primeira vez de um time da Colômbia em uma decisão de Libertadores.

Um pífio empate sem gols em Cali, no dia 23 de novembro, deixava o confronto aberto para o jogo na Argentina, cinco dias depois.

Com a Bombonera completamente tomada, o Boca impôs seu futebol e abriu o placar logo aos 15 minutos, com o ponta-esquerda Perotti. O placar de 1 a 0 no primeiro tempo dava tranquilidade para os argentinos. O segundo gol, de Mastrángelo, aos 15 da etapa final, desestabilizou o Deportivo Cali, que se lançou ao ataque. Salinas anotou o terceiro, aos 26, e Perotti, de novo, fechou a conta: 4 a 0.

Boca Juniors, bicampeão da América. Daquele time, dois nomes são, simplesmente, os que mais vestiram a camisa azul y oro: o zagueiro Roberto Mouzo (426 jogos) e o performático goleiro Hugo Gatti (417). Duas lendas da história do maior campeão da América.

Campeão do Mundial em 1977, o Boca não pôde defender o título no ano seguinte, contra o Liverpool-ING. Os times decidiram não realizar o confronto, por causa da falta de datas.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Veja um clipe do jogo final, Boca Juniors 4 x 0 Deportivo Cali:

Fontes:

Wikipedia

bocajuniors.com.ar

colunasports.blogspot.com.br

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.