Rolling Stones fecham o Festival da Ilha de Wight

Há 10 anos… dia 10 de junho de 2007.

“A última vez que os Rolling Stones tocaram em um festival no Reino Unido – Knebworth Fair, em 1976 – não havia telas de TV gigantes, pulseirinhas VIP ou camarotes e espaços corporativos. Trinta e um anos depois, os Rolling Stones reavivaram seu espírito de festival na Ilha de Wight”, escreveu Paul Stokes, em abertura de texto publicado no site da revista Uncut, sobre o retorno de Mick, Keith e Cia. aos palcos de festival em sua terra natal.

Eles estavam com saudades desse espírito. O público, nem se fale.

Em três dias de shows, passaram pelos palcos da edição 2007 do mítico rendez-vous alguns queridinhos do momento, como Amy Winehouse, Muse, Kasabian, Keane, entre outros.

No entanto, a apresentação dos dinossauros do rock era, sem concorrência, a mais aguardada.

“Os Stones tiveram companhia de atrações mais jovens no line-up, como Winehouse, Keane e Muse, mas ficou claro que uma grande porcentagem da multidão de 60 mil pessoas estava lá para ver apenas uma coisa”, escreveu Helen Brown, no Telegraph.

Óbvio que eles não decepcionaram. Com um set list recheado de hits, como “Start Me Up”, que abriu os trabalhos em grande estilo, “Miss You”, “Satisfaction”, “Honky Tonk Women”, “Sympathy For The Devil”, “Brown Sugar”, “Jumping Jack Flash” (a última), entre outras, eles entregaram, como de praxe.

Mick Jagger, em especial, parecia curtir cada momento como se fosse sua estreia em um festival.

“É demais, nós não tocamos em um festival em séculos. Este é muito bom e está muito limpo. No entanto, achei muito caro. Duas pratas por uma água, quatro por um hambúrguer e, no fim, um cachorro comeu minha parada!”, brincou, feliz da vida.

Teve participação especial do escocês Paolo Nutini, que acompanhou Mick e banda em “Love in Vain”, canção do lendário bluesman Robert Johnson. E um dueto nem tão especial assim com a diva da hora, Amy Winehouse, em “Ain’t Too Proud to Beg”, dos Temptations. Culpa da convidada, diga-se.

Na Uncut, inclusive, Stokes escreve que as fofocas de bastidores davam conta de que Amy ganhara um apelido da banda: “A Madame”. Tudo porque não quis ensaiar com eles antes do show. O resultado foi uma performance pela metade de Amy.

Nada, no entanto, que manchasse o triunfal retorno ao ambiente pulsante do histórico Festival da Ilha de Wight.

Os Stones repetiriam a dose em Glastonbury, seis anos depois.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Algumas músicas do set list:

Fontes e +MAIS:

– Wikipedia

– setlist.fm

– nme.com

– uncut.co.uk

– telegraph.co.uk

– bbc.co.uk

– isleofwightfestival.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s