Gustavo Borges se torna o maior medalhista olímpico do Brasil

Há 20 anos… dia 22 de julho de 1996.

Gustavo Borges se torna o maior medalhista olímpico do Brasil

Estadão e Folha destacaram o feito, nas edições de 23 de julho.

“Medalha dá a Gustavo conquista inédita” foi a manchete principal da capa do jornal da família Mesquita, enquanto que “Gustavo Borges conquista a 3ª medalha do Brasil” foi o título do caderno de Esportes.

Mais comedido, o diário dos Frias destacou a façanha do nadador brasileiro como sub-manchete de capa (“Borges leva medalha de bronze nos 100 m livre”) e na página 9 do caderno especial Atlanta-96 – “Borges é o maior medalhista do país” foi o título da reportagem de André Fontenelle.

Fato.

Pois em 22 de julho de 1996, nenhum atleta do País tinha mais medalhas olímpicas do que Gustavo França Borges: 3 no total. A primeira veio em Barcelona-1992, quando o paulista de Ribeirão Preto levou a prata nos 100m livre.

Quatro anos mais tarde, em Atlanta-EUA, Borges faturou novamente uma prata, dessa vez nos 200m livre, e o bronze nos 100m, há exatos 20 anos. “Agora entrei para a história. Se a olimpíada terminasse agora, já estaria satisfeito”, disse, depois do terceiro lugar na prova que teve bicampeonato do russo Aleksandr Popov e segundo lugar do americano Gary Hall Jr..

“Foi uma prova muito disputada, e, mesmo sendo bronze, é uma medalha olímpica, e não posso desprezar. Ainda vou tentar mais uma, no revezamento 4 x 100 m”, completou o brasileiro.

Não deu. Ao lado de Fernando Scherer, Alexandre Massura e André Cordeiro, a equipe do Brasil terminaria a prova na quarta colocação, atrás de Estados Unidos, Rússia e Alemanha.

Alguns dias depois, Gustavo Borges ganharia a companhia do iatista Torben Grael no posto de maior medalhista olímpico do Brasil. Grael conquistou o ouro na classe Star, ao lado de Marcelo Ferreira.

Quatro anos mais tarde, em Sydney, o nadador faturaria sua quarta e derradeira medalha: o bronze no revezamento 4 x 100m livre.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Em tempo: Hoje, Borges é o terceiro colocado no ranking de maiores medalhistas brasileiros em Olimpíadas, atrás do próprio Torben Grael (2 ouros, 1 prata e 2 bronzes) e de Robert Scheidt, que tem 2 ouros, 2 pratas e 1 bronze e ainda pode faturar mais neste ano, na Rio-2016!

A prova dos 100m livre (perdão pelo áudio!):

Fontes e +MAIS:

Acervo Folha

Acervo Estadão

Wikipedia

– globoplay.globo.com

– jovempan.uol.com.br

– veja.abril.com.br

– esportes.yahoo.com

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s