“Cinderela” da Disney estreia nos EUA

Há 65 anos… dia 4 de março de 1950.

“Cinderela” da Disney estreia nos EUA

 “A história de Rhodopis sobre uma jovem escrava grega que se casa com o rei do Egito – publicada em 7 a.C. – é considerada a mais antiga variante de ‘Cinderela’”, diz a Wikipedia.

Ao que consta, o conto sobre a jovem que supera a opressão e a maldade tem origem atemporal e em diversas civilizações diferentes. Grosseira e superficialmente falando – perdoem-me, psicólogos! -, é o arquétipo de Jung.

Posteriormente à história de Rhodopis, outras versões e interpretações foram escritas, como do italiano Giambattista Basile (1634), do francês Charles Perrault (1697) e dos Irmãos Grimm (1812).

O balé e o teatro também criaram interpretações próprias de “Cinderela”. O cinema nasceu e também jogou luz sobre a lenda, a primeira versão concebida pelo famoso cineasta francês Georges Méliès, em 1899.

Quase 50 anos depois, com mais de uma década de experiência no ramo da animação, Walt Disney resolveu idealizar a sua narrativa de “Cinderela”. Baseou-se em “Cendrillon”, de Perrault, para transpor o conto de fadas em um desenho.

À época, Disney estava à beira da falência. Os fracassos de bilheteria de “Pinóquio”, “Fantasia” e “Bambi”, produções com altíssimo custo, deixaram os cofres do empresário em 4 mihlões de dólares negativo. Assim, “Cinderela” seria a salvação. Disney precisaria da fada mais do que a própria protagonista!

Dois anos e US$ 2,9 milhões foram gastos na produção. Uma aposta gigantesca e arriscada do empresário. Mas que deu certo!

Três première (Boston, Chicago e Nova York) depois e o desenho já era aclamado pela crítica. O lançamento oficial, 65 anos atrás, confirmou o sucesso com o público em geral. “Cinderela” acabou sendo o sapatinho de cristal para Walt Disney!

O longa de animação recebeu três indicações ao Oscar de 1951: Melhor Trilha Sonora, Melhor Som Original e Melhor Canção, para “Bibbidi-Bobbidi-Boo” (Salagadula, mexicabula, bibidi-bobodi-bu…). Foram produzidas outras duas sequências, em 2002 (“Cinderella II: Os Sonhos Tornam-se Realidade”) e em 2007 (“Cinderela 3 – Uma Volta no Tempo”).

Um remake dirigido por Kenneth Branagh e com atores – entre eles, Cate Blanchett -, também produção dos Estúdios Disney, tem lançamento previsto para o próximo dia 13.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.

Veja o trailer oficial de “Cinderela”, dublado:

Fontes:

Wikipedia

IMDb

Wikipédia

Anúncios

Fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s